10.01.2016

Depois do golpe, Globo criminaliza advocacia

9.30.2016

Lula faz caminhada da vitória com Haddad em São Paulo

- A dois dias da eleição municipal, o ex-presidente Lula fez uma caminhada com o prefeito candidato à reeleição, Fernando Haddad (PT), pelas ruas do centro da capital paulista. O ato foi seguido por uma multidão, que assediou bastante Lula no Pátio do Colégio.
Nenhum dos dois discursaram, por conta das restrições da lei eleitoral. No Twitter, o ex-presidente postou: "Foi muito bonita a caminhada da vitória de @Haddad_Fernando no centro de São Paulo! Domingo é dia de votar 13! #Haddad13".
O prefeito chamou o evento de "caminhada da vitória" nas redes sociais. "Haddad, de novo, com a força do povo", gritavam os militantes durante a caminhada.

Tempo......


Tem coisas que quero, mas não devo,outras que devo mas não posso e outras que posso mas não quero!
Di Castilho

Temer piora economia e conta com imprensa para construir tese da herança

Tese da herança maldita do "Fora Temer" não cola, mas, infelizmente, ainda tem o apoio da mídia golpista. 


Ao abrir um fórum de economia da revista Exame, da Editora Abril, o presidente Michel Temer, que está no poder há quase cinco meses, tentou construir a tese da herança maldita;  “Nós encontramos um país que acumula trimestres consecutivos de queda do PIB e com inflação crescente. Chegamos a quase 12 milhões de desempregados”, disse ele; “Não quero que falem que esses passivos são nossos”, disse Temer; a realidade, no entanto, comprova que, desde que assumiu, no dia 13 de maio, Temer piorou todos os indicadores econômicos; para fugir de suas responsabilidades, ele conta com a imprensa amiga, como a própria Exame, que diz que ele está na presidência há apenas um mês

Governos estaduais administrados pelo PSDB repassaram cerca de R$ 10,1 milhões a empresas pertencentes ao candidato do partido à Prefeitura de São Paulo, João Doria Jr, entre os anos de 2010 e 2016.

 :
 Segundo levantamento feito pelo UOL, foram pesquisados contratos feitos nos últimos dez anos entre estados que tiveram gestores do PSDB e empresas ligadas a Doria, sendo que neste período foram encontrados repasses feitos pelo Mato Grosso, Paraná, Goiás e São Paulo.

Doria é proprietário de oito empresas e declarou à Justiça Eleitoral possuir um patrimônio da ordem de R$ 180 milhões. Ele também aparece como o maior doador da sua própria campanha, tendo repassado R$ 2,9 milhões. De acordo com o advogado do tucano, Nelson Wiliams, os contratos são legais e obedecem a legislação vigente, além de não possuírem vinculação política ou partidária decorrentes da filiação de Doria ao PSDB.
"[A filiação] não tem peso algum e pelo contrário. Um dos princípios mais importantes que regem a administração pública é o princípio da impessoalidade", destacou o advogado. "Não existe nenhuma relação de ajuda entre Grupo Doria e governos, seja de qualquer partido", completou. Wilians disse ainda, que entre os contratantes do setor público aparecem governos de vários estados "vários estados (AM, BA, PE, GO, SC, RN) e municípios de diversos partidos, entre eles PT, PSDB, PSB, PSD, PP".
De acordo com o levantamento, o Paraná – que administrado por Beto Richa (PSDB) - teria repassado R$ 2,4 milhões às empresas de Doria. No Goiás, administrado pelo governador Marconi Perillo (PSDB), o repasse chegou a R$ 2,7 milhões a título de "realização de eventos, inclusive Congressos e Conferências". Já o governador do Mato Grosso, Pedro taques (que se elegeu pelo PDT, mas que depois passou para o PSDB) o repasse de R$ 498 mil teria sido pago à empresa Doria Eventos Internacionais para participação em um evento internacional. O pagamento teria sido liberado quando Doria já estava em campanha eleitoral pela prefeitura da capital paulista.
Em São Paulo, estado administrado pelo governador tucano Geraldo Alckmin, que vem a ser padrinho político de Doria, os repasses às empresas do correligionário e candidato ao governo da capital somaram R$ 4,5 milhões entre 2010 e 2015.