9.29.2014

Marina recua e defende anistia para torturadores da ditadura

Novo recuo: Marina Silva muda opinião histórica contra a anistia aos agentes do Estado que torturaram, assassinaram e sumiram com corpos na ditadura. Desbotada precocemente, a “nova política'' já se parece com a "velha''

marina silva lei da anistia
Familiares dos torturados na ditadura cobram que presidenciáveis se pronunciem sobre lei da anistia (Imagem: Pragmatismo Político)
Marina Silva recuou algumas vezes em seu programa de governo. A primeira vez foi com relação ao casamento homossexual, a segunda foi no quesito energia nuclear. Esse vai e vem suscitou críticas. Um escreve-não-lê de grande monta. No entanto, agora o assunto pode render muito mais gritas: direitos humanos. Segundo a coluna Painel, da Folha, Marina diz ser contra a revisão da Lei de Anistia. Antes de ser candidata, Marina defendia a punição de militares. Hoje, candidata, declara-se contra a revisão da lei.
Quem promete mudanças na área é o programa da candidata à reeleição Dilma Rousseff. Apesar de publicamente a petista ter se manifestado a favor da manutenção da lei, o PT aprovou por unanimidade, no 14º Encontro Nacional do partido em maio, a inclusão da revisão da Lei que anistiou os militares. “O PT, como principal partido da coalizão da candidatura de Dilma, tirou por unanimidade posição favorável pela proposta de revisão da Lei de Anistia ”, afirmou a presidente da Comissão da Verdade do Rio, Nadine Borges.
Procurado, Aécio Neves reiterou ser contra a mudança na legislação. Aécio informou por meio de nota que “vai manter e apoiar os trabalhos que vêm sendo realizados pela Comissão Nacional da Verdade”.

Cobranças

“Acho que os candidatos à Presidência deveriam se posicionar sobre esse assunto. Não podemos parar. Não apenas por conta do caso específico da minha família, mas especialmente porque estes casos não punidos, não investigados, servem de mau exemplo para as nossas polícias que são treinadas para funcionar como na ditadura”, defendeu Vera Paiva, filha do deputado federal cassado Rubens Paiva, vítima do regime.
Mário Magalhães, blogueiro do UOL e autor da biografia “Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo”, comentou o recuo de Marina Silva na questão da impunidade aos torturadores da ditadura. Leia o texto abaixo.
Por Mário Magalhães
A “nova política” da candidata Marina Silva (PSB) perdeu ainda mais o viço com seu pronunciamento a favor da impunidade de agentes do Estado que torturaram, assassinaram e sumiram com corpos de opositores durante a ditadura que vigorou no Brasil de 1964 a 1985.
A mudança da opinião histórica de Marina contra a anistia aos violadores dos direitos humanos se tornou pública em entrevista da ex-senadora ao G1 (assista aqui).
“Defende a revisão da Lei de Anistia?”, indagaram-lhe. Ela respondeu: “Não”.
Em novembro de 2008, Marina havia publicado na “Folha” um artigo defendendo opinião oposta (leia aqui): “A tortura é crime hediondo, não é ato político nem contingência histórica. Não lhe cabe o manto da Lei de Anistia. À justiça aqueles que, por decisão individual e intransferível, utilizaram esse instrumento torpe. Seu ajuste de contas não pode se limitar ao contencioso direto com suas vítimas. Somos todos atingidos duplamente, em nossa humanidade e em nossa cidadania. O Estado, que nos representa, deve agir tendo em conta essa dimensão”.
Foi o repórter Bernardo Mello Franco quem informou sobre mais essa reviravolta de Marina Silva (aqui).
Na sexta-feira, a candidata divulgou seu programa de governo. Um dia depois, mudou passagens relevantes sobre emprego de energia nuclear, casamento de pessoas do mesmo sexo e criminalização da homofobia. Alegou ter havido “falha processual na editoração” do texto.
VEJA TAMBÉM: Militares conservadores dizem que Marina é “fio de esperança”
Ao pregar que a anistia política de 1979 também ampara criminosos a serviço do Estado, Marina, em vez de se diferenciar entre os mais fortes postulantes à Presidência, adotou a mesma plataforma de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Esgrimindo palavras menos cruas, os três consideram que, ao contrário do que ocorre ainda hoje na Alemanha, Argentina, Camboja e Sérvia, funcionários públicos autores de crimes contra a humanidade merecem ser protegidos pela aberração da impunidade.
Desbotada precocemente, a “nova política” já se parece com a “velha”.
Redação Pragmatismo

Marcelo Tas fala sobre filho transexual: 'Soube tratar naturalmente a questão'

Luiza, filha do apresentador, se transformou em Luc e mora nos Estados Unidos

O Dia
Rio - Marcelo Tas comentou como foi ver a filha Luiza se transformar em homem, aos 22 anos, em entrevista à edição de outubro da revista "Crescer". Atualmente, Luiza se chama Luc. O jovem tem 25 anos, mora nos Estados Unidos e é casado com outro transexual.
Marcelo Tas e o filho, Luc
Foto:  Reprodução Internet
"Uma novidade desse tamanho sempre é surpreendente. Antes de tudo, devemos admitir que independente da orientação (hetero, homo, trans, bi...) a sexualidade é um assunto que desafia e intriga os seres humanos desde que o mundo é mundo. Por outro lado, creio que eu faça parte talvez de uma primeira safra de pais que souberam acolher e tratar com mais naturalidade a questão de forma transparente", disse o apresentador.
Luc assumiu ser bissexual com 15 anos, virou transexual com 22 e atualmente trabalha nos Estados Unidos como advogado. "Sou muito sortudo. A realidade é que minha família sempre me apoiou em tudo. Eu contei que era bi quando ainda era muito novo, e eles nem piscaram. Quanto a eu ser trans, acredito que foi um pouco mais difícil, tanto para mim quanto para eles. Hoje em dia, eles sempre usam os pronomes certos para se referir a mim (ele/dele, etc.) e meu nome", disse Luc.
Além de Luc, Marcelo Tas também é pai de Miguel e Clarice, frutos do casamento com Bel Kowarick. As crianças, que têm respectivamente 13 e 9 anos, aceitaram bem a decisão do irmão. "Miguel e Clarice nos deram uma aula de como conduzir o assunto. Para eles foi algo natural", contou Tas.
"Lembro que Bel e eu criamos uma atmosfera solene para comunicar o fato dentro de casa. Clarice na hora rebateu que ela sempre percebeu que o Luc não gostava de usar roupas femininas e que tinha certeza de que ele estava fazendo a coisa certa. E ela concluiu com uma tirada incrível: 'E a gente só tem que fazer uma coisa, passar a chamar ela de ele. Só isso!'. Eu fico surpreso e até esperançoso de ver como as crianças nos ensinam a tratar assuntos aparentemente espinhosos e complicados de uma forma generosa e elevada", completou.
O apresentador ainda afirmou que "as questões de sexualidade e gênero são importantes. Mas não são mais importantes do que o amor incondicional que devemos manter na nossa família. Este sim é o assunto mais importante da nossa vida".

Confira as alternativas para enfrentar a greve nos bancos


Cliente deve ter telefone de gerente para sacar valores e tomar mais cuidados na internet

Henrique Moraes
Rio - Consumidores, empregadores e INSS não podem se valer da greve dos bancários marcada para começar semana que vem para protelar pagamentos. O movimento, que se inicia na terça-feira no Rio, terá abrangência nacional e deve atingir agências bancárias em áreas centrais inicialmente, por isso, é importante ter em mãos telefones de gerentes, caso seja necessário sacar na boca do caixa valores maiores ou garantir a entrada aposentados e pensionistas do INSS para receber os benefícios.
Os caixas eletrônicos permitem fazer qualquer operação bancária, inclusive saques de benefícios sociais (INSS, PIS/Abono Salarial e FGTS)
Foto:  Reprodução Internet
Os grevistas podem fazer piquetes para pressionar a adesão de colegas, mas não têm como impedir a entrada de clientes que queiram falar com gerentes ou ser atendidos internamente. Quem movimenta a conta pela internet, nos sites dos bancos, ou nos caixas eletrônicos, não deve ser afetado pela paralisação, pois esses serviços continuarão a funcionar normalmente.
Ocorre, porém, que a atenção deve ser redobrada. Durante greves de bancários aumentam os casos ataques de hackers e criminosos. É preciso verificar se o site do banco mantém os indicativos de segurança, como cadeados no pé da página, e também evitar pedir ajuda a pessoas não identificadas quando estiver nos caixas eletrônicos
A Federação dos Bancos (Febraban) destacou que o consumidor tem canais alternativos para transações financeiras. Além da internet, há casas lotéricas, rede 24 horas, que também ficam disponíveis em supermercados e shoppings.
O servidor Jorge Ignácio, 51 anos, afirmou que usará caixas eletrônicos. “Como não gosto de fazer operações pela internet o jeito será esse, apesar de os caixas ficarem cheios na greve”, lamentou.
NEGOCIAÇÃO E ASSEMBLEIA
Antes do começo do movimento, haverá novas tentativas de acordo. Hoje está marcada rodada de negociação entre representantes dos bancos e dos bancários. Segundo a presidenta do Sindicato do Rio, Adriana Nalesso, o resultado será levado para avaliação dos trabalhadores em assembleia na segunda-feira. “Quem marcou esta nova reunião foi a Febraban. Portanto, aguardamos que os bancos melhorem a proposta”, afirmou.
EVITE MULTA AO PAGAR AS CONTAS
A VENCER
Os boletos de água, luz, telefone, gás, financiamentos, impostos e títulos de cobrança em geral, que estão dentro do prazo de vencimento podem ser pagos pela internet, caixa eletrônico ou rede 24 horas, aplicativo dos bancos no celular, correspondentes bancários e também pelo telefone do banco (confira o número no site da instituição financeira no cartão da sua conta, ou pesquise no site da Febraban www.febraban.org.br/atendimento_bco.asp).

VENCIDAS
As contas de concessionária (luz, água, telefone, gás) vencidas podem ser quitadas nos mesmos canais citados acima. As próprias concessionárias costumam cobrar os juros e as multas na conta do mês seguinte.

CAIXAS ELETRÔNICOS
Atualmente, os terminais de autoatendimento permitem fazer qualquer operação bancária, inclusive saques de benefícios sociais (INSS, PIS/Abono Salarial, FGTS, etc), entre outros. Há uma limitação quanto a valores. Por razões de segurança, os limites para retiradas são bem inferiores aos feitos na “boca do caixa” da agência, e dependem de banco para banco. Os saques noturnos são limitados a R$300.

BANKFONE
Todos os bancos oferecem um serviço telefônico em que os clientes podem tirar dúvidas sobre serviços e fazer transações financeiras, como pagamento de boletos não vencidos, contas de consumo (água, luz, gás, telefone), consultas de saldos, além de pagamentos de impostos.

Pagamento começa no dia 1º
A greve vai começar na semana em que aposentados e pensionistas do INSS, que ganham acima do salário mínimo (R$724), vão receber os benefícios de setembro. A folha será creditada a partir de 1º de outubro e vai até dia 7. A Febraban orienta que os segurados da Previdência usem canais alternativos como internet, telefone do banco e caixas eletrônicos.
Os aposentados devem ter cuidado ao usar o caixa eletrônico dos bancos durante a greve. Por exemplo, não aceitar ajuda de pessoas estranhas para não caírem em golpes.
Operações acima de R$750 podem ser feitas por meio de Transferência Eletrônica Disponível (TED) para quem tem urgência, que faz o dinheiro cair na conta do destinatário no mesmo dia. Se não houver urgência, o cliente pode optar pelo Documento de Crédito (DOC), que tem limite de até R$ 5 mil e é liberado no dia seguinte.
Em relação aos novos contratos habitacionais em negociação, a Febraban explicou que todos os trâmites operacionais continuam na greve. No entanto, a assinatura de documentos para concluir o empréstimo dependerá do retorno da paralisação.
Além do reajuste de 12,5%, os bancários reivindicam cláusulas sociais não atendidas pelos bancos. Entre elas, fim da pressão para cumprir metas, medidas para evitar demissões e a alta rotatividade.

Oito a cada dez pessoas estressadas tendem a desenvolver problemas bucais

O estresse pode afetar áreas do corpo que você nem imagina

Beatriz Salomão
Rio - Chamado de ‘mal do século’ e presente na vida de oito a cada dez brasileiros, o estresse pode afetar áreas do corpo que você nem imagina. Junto a batimento cardíaco acelerado e rigidez muscular, o problema traz também problemas bucais. Pessoas nervosas, em especial mulheres adultas, tendem a desenvolver uma série de complicações que podem resultar na destruição e perda de dentes.
Chamado de ‘mal do século’, o estresse pode gerar muitos problemas
Foto:  Reprodução
Afta, herpes, bruxismo e doença periodontal são os males mais recorrentes. Segundo a cirurgiã bucomaxilofacial Katyuscia Lurentt, esta última é a mais grave. A doença ocorre quando há acúmulo de bactérias na gengiva. Os organismos se infiltram no dente, destruindo o tecido ósseo e levando à queda.
A especialista explica que o estresse aumenta a produção de cortisol, hormônio que gera um processo inflamatório e a presença de bactérias na boca. “A tensão também faz o corpo liberar hidrocortisona, que dificulta a cicatrização.No meu consultório o número de mulheres é maior”, cita.
Outro problema comum em estressados é o bruxismo, que é o hábito de travar e ranger os dentes por longos períodos. Em diversas ocasiões, a ação acontece até mesmo durante o sono. Ela explica que a pessoa estressada e ansiosa não consegue relaxar e passa a ranger os dentes sem perceber, o que desgasta e sobrecarrega o local.
A lista de problemas não terminou. O estresse eleva a incidência de aftas, herpes e boca seca. A última costuma ser fruto de medicamentos contra a ansiedade, que reduzem a produção de saliva. Já os dois primeiros ocorrem a partir da baixa de imunidade. “Quem está estressado se alimenta pior, bebe menos líquido e até escova os dentes menos vezes. Isso diminui a taxa de anticorpos e abre portas para os males”.
Apesar de serem problemas de saúde bucal, os distúrbios, quando associados ao estresse, exigem um tratamento para além do consultório dentário. Em muitos casos, o dentista precisa indicar cuidados psicológicos ao paciente. Ela aponta que o profissional pode usar um ansiolítico (droga que diminui a ansiedade) para aliviar as dores nas articulações de quem sofre de bruxismo, por exemplo. “Mas sem a resolução do estresse, que é o problema central, o trabalho do dentista não adianta”, disse.
Erika de Morais Gonçalves, psicóloga do Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), também aponta que o problema emocional afeta o físico. Hipertensão arterial, alteração nas taxas de glicose no sangue, psoríase, fibromialgia são, por vezes, associados ao estresse. “O estresse pode não provocar a doença, mas a potencializa.”
Sobre as mulheres, Erika aponta que elas sofrem com a TPM e atividades domésticas e profissionais, que aumentam o estresse. “A terapia cognitiva comportamental tem demonstrado bons resultados para tratar o estresse”.
TOME NOTA
AFTA
Pequena úlcera que aparece na boca. Pode ser provocada por imunidade baixa, bactéria ou vírus, mas o estresse contribui para o surgimento. Para aliviar a irritação, use anestésicos tópicos e evite alimentos condimentados, muito quentes, ou ácidos.
HERPES
É causado por vírus e contagioso. Pode aparecer dentro ou ao redor da boca. O estresse costuma desencadear o mal, junto com febre, radiação ultravioleta, imunidade baixa, escoriações na pele e uso prolongado de antibióticos. O tratamento é feito com antivirais e deve ser iniciado com o surgimento dos primeiros sintomas (aumento da sensibilidade, queimação e coceiras na região dos lábios).
DOENÇA PERIODONTAL
Acúmulo de bactérias na gengiva que se infiltram nos dentes e destroem o tecido ósseo. É a principal causa de perda de dentes em adultos.
BRUXISMO
Trata-se do ranger e apertar dos dentes durante o dia ou o sono. Desgaste dos dentes, dor de cabeça e zumbido nos ouvidos são sintomas comuns. O uso de placas na arcada dentária restringe o movimento dos músculos e o desgaste do dente.

Anvisa amplia monitoramento de medicamentos

Segurança

Sistema reúne, em um único banco de dados, laudos e resultados de análises de 60 laboratórios que fazem parte da Rede Nacional
por Portal Brasil publicado : 22/09/2014 15h46
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou uma série de ações para modernizar e ampliar o sistema de monitoramento de produtos no âmbito da vigilância sanitária no país.
Uma das iniciativas é o Sistema de Gerenciamento de Amostras Versão Web (SGAWeb), que reunirá, em um único banco de dados, laudos e resultados de análises de 60 laboratórios que fazem parte da Rede Nacional de laboratórios. O Ministro da Saúde, Arthur Chioro, participou da cerimônia de lançamento do novo sistema em Brasília. 
Na ocasião, também foi anunciado o investimento de R$ 27 milhões para realização de análises de verificação da qualidade de medicamentos e produtos de saúde no mercado brasileiro, como órteses, próteses, seringas e agulhas, por exemplo. No caso dos medicamentos, a iniciativa permitirá a análise de 1.200 amostras por ano.
Integram o SGAWeb, o Programa Nacional de Verificação da Qualidade de Medicamentos (PROVEME) – para verificar a qualidade de medicamentos consumidos no Brasil – e o Monitoramento de Materiais de Uso em Saúde – que avaliará a qualidade e a efetividade de produtos colocados à disposição do cidadão. As medidas permitirão o monitoramento dos produtos após o registro. Além de medicamentos, terão prioridade a análise de próteses e órteses. 
Segundo o ministro Chioro, a informatização e a padronização dos dados são importantes ferramentas para direcionar ações estratégicas e de criação de políticas públicas preventivas, além de ser um passo importante para enfrentar o desafio de ser autossuficiente na produção do cuidado em saúde.
“Cada vez mais fica claro o papel da vigilância, não só na de regulação, mas na segurança do paciente, dos serviços, dos sistemas de saúde, no momento de pós-registro de pós-autorização. Essas ações representam um grande salto para garantir a proteção sanitária da população”, avaliou o ministro.
O ministro também reforçou que é importante avançar na modernização do processo para ganhar agilidade e ter mais capacidade de dar as respostas que o setor precisa, como mais rapidez no processo de avaliação de registros de medicamentos e incorporação de tecnologias ao Sistema Único de Saúde. “Essa é uma ferramenta fundamental para o complexo industrial da saúde porque agiliza o registro de produtos e favorece a inovação tecnológica”, destacou Chioro. 
Para o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, o software garante mais segurança e agilidade no processo de análises. “Antes, o trabalho não era integrado. Essas ferramentas vão estabelecer um padrão de informação e de organização que gerará conhecimento para as pesquisas”, afirmou o diretor. 
Análises
O Proveme tem como objetivo verificar a qualidade de medicamentos consumidos no Brasil. Para isso, a meta é que sejam realizadas cinco mil amostras em 18 meses, com prioridade para os medicamentos que integram o Aqui tem Farmácia Popular e a Farmácia Popular, além dos medicamentos notificados, dos mais vendidos por unidade e mais vendidos por faturamento.
A iniciativa contará com a participação de laboratórios da rede oficial de vigilância sanitária, podendo contar também com parcerias com laboratórios de Universidades.
Em relação ao monitoramento de Materiais de Uso em Saúde, a previsão é a análise de três mil produtos no prazo de três anos. Serão avaliados qualquer tipo de produto para a saúde, principalmente os que tenham em sua composição metais, polímeros e cerâmicas. A cada dois meses, deverão ser gerados relatórios gerenciais para os gestores do SUS.
Fonte:
Agência Nacional de Vigilância Sanitária