7.25.2016

Governo dará reajuste a mais nove classes

Medida foi divulgada pelo Ministério do Planejamento e pega carona no aumento de até 41,47% do Judiciário Federal

Paloma Savedra
Brasília - Na busca pela pacificação das relações com servidores federais — e do apoio do funcionalismo —, o governo interino de Michel Temer (PMDB) enviará ao Congresso projetos de lei que estabelecem o reajuste salarial para mais nove categorias. Serão contemplados os auditores fiscais e analistas tributários da Receita Federal; auditores fiscais do Ministério do Trabalho; médicos peritos do INSS; delegados, peritos, escrivães, papiloscopistas e agentes da Polícia Federal; servidores da Polícia Rodoviária Federal e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit); analista técnico de Políticas Sociais (ATPS); analistas de Infraestrutura e peritos agrários do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).
A medida foi divulgada pelo Ministério do Planejamento, que tem à frente o ministro Dyogo Oliveira, e pega carona na sanção do aumento de até 41,47% do Judiciário Federal e de 12% do Ministério Público da União.
Também estão à espera da sanção presidencial oito projetos de aumento dos vencimentos de servidores civis e militares, aprovados em caráter de urgência no Senado. A expectativa do funcionalismo e congressistas é de que o presidente interino aprove esses reajustes, vetando apenas a criação de mais de 14 mil cargos. As correções foram fruto de acordo ainda no governo de Dilma Rousseff.
Servidores cobram
Os reajustes das categorias foram acordados com o governo Dilma, mas os projetos não foram enviados ao Congresso. Após cobranças das classes, a pasta elaborou os textos e diz que isso “busca fortalecer a confiança entre o Estado e servidores”. O impacto previsto na LOA de 2016 será de R$ 726 milhões. Custos dos próximos anos serão incorporados às respectivas LOAs.
Aumento este ano
Os reajustes serão escalonados em 3 e 4 parcelas, dependendo da categoria. Para este ano, o governo prevê aumento para três classes: auditores fiscais e analistas tributários da Receita; auditores do Trabalho e médicos peritos do INSS. O aumento será escalonado até 2019. A remuneração de auditores da Receita e do Trabalho terá bônus por desempenho.
Greve pode continuar
Auditores da Receita pediam que o reajuste, acordado em março, valesse a partir de agosto. O descumprimento do acordo os levou a entrar em greve no último dia 14. Em reunião na Fazenda, na quinta, o presidente do Sindifisco, Cláudio Damasceno, disse que vai esperar documento oficial do governo para convocar assembleia que decida sobre continuidade da greve.
Categorias
O reajuste previsto para auditores e analistas da Receita é de 21,3%: 5,5% este ano, 5% em 2017, 4,8% em 2018 e 4,5% em 2019. O percentual é o mesmo para os auditores do Trabalho, com os mesmos escalonamentos. Médicos peritos do INSS terão reajuste de 27,9%. As parcelas serão de 5,5% este ano, 7% em 2017, 6,7% em 2018 e 6,3% em 2019.

Temer Vai Tomar a Vaia Sózinho

Temer: traidor, ilegítimo e golpista


Sou informado que nenhum dos ex-presidentes da República estarão presentes na abertura das Olimpíadas no Rio de Janeiro.
Não entendi ainda direito o significado disto. À primeira vista parece-me uma desautorização coletiva do poder de Michel Temer.
De toda a forma vai ser muito ridículo porque Michel levará a vaia destinada às autoridades sõzinho. Assim como na sua ganância de traidor de sua parceira na Presidência, na sua ganância de ansioso ancião pelo Poder, na sua ganância de ser alguém mais além do que sua mediocridade até hoje já lhe permitiu, levará como prêmio, sozinho a tocha da vaia.
No desespero de ser poderoso, na necessidade de alguma forma recuperar sua potência, receberá toda para ele a vaia reservada pelo povo.
Fique Michel, com seu Poder e com sua vaia.
Não se preocupe, com a idade avançada  em poucos anos perceberá que não levará nenhum  dos dois no caixão.
Toda vaidade é vã. E todo o Poder não nos pertence, ele nos atravessa e nos deixa em seguida.
Viveu tantos anos e ainda não aprendeu isso.
Mas enquanto se vive sempre há tempo de aprender sobre isso, mesmo que seja através de uma vaia mundial.


Correr vicia, mas traz benefícios

Quem começa garante que vira mania. Especialistas alertam para os cuidados antes de sair por aí

Martha Esteves
Professora, Patrícia corre cinco dias na semana: ‘Passei a ter mais pique’
Foto: Álbum de família
Rio - Depois que começa a correr, muita gente diz que não consegue mais parar. A corrida ajuda a liberar endorfina, que traz inúmeros benefícios ao organismo, como aumento de disposição, melhora no sistema imunológico e alívio de dores. A serotonina, substância produzida pelo sistema nervoso, também é responsável pela sensação de bem-estar. Por isso, quando fica sem treinar, o corpo sente falta das substâncias liberadas pelo exercício.
“Eu sou viciada nisso”, confessa a jornalista Rose Novaes, de 35 anos, que começou a correr há seis. Para ela, o principal ganho do esporte foi acabar com o efeito sanfona. “Fiquei magra para sempre”, brinca ela, que já viajou para fora do Brasil atrás de uma boa corrida.
Inspirados pelo espírito olímpico na cidade que mais parece uma academia ao ar livre, muitos corredores de fim de semana “invadem” pistas, calçadões, ruas e parques. Outros, acabam se tornando frequentadores assíduos de grupos ou eventos de corridas organizadas. É o caso da professora Patrícia Longhi, de 37 anos. “Eu não gostava de correr, comecei para perder peso depois da gravidez. Mas aí fui gostando e fiquei viciada”, comenta Patrícia, que começou há pouco mais de um ano.
Em janeiro deste ano, ela resolveu contratar uma assessoria especializada e hoje corre nos cinco dias úteis da semana, com treinos que variam de três a oito quilômetros. Aos domingos, chega a percorrer de 15 a 21 quilômetros. Patrícia já correu duas edições de meia maratona e outras duas corridas de 25km em ladeiras. Os benefícios? “Passei a ter mais pique para cuidar dos meus filhos, a ter mais paciência, menos estresse, mais disposição”, diz. 
Mania para muitos cariocas, a atividade aeróbica, superdemocrática, tem enorme gasto calórico e pode ser feita ao ar livre. Para o professor da academia Physical, André Luiz da Silva, os iniciantes devem alternar corrida com caminhada, mantendo intensidade moderada, sem esquecer da hidratação antes, durante e depois. “É fundamental usar roupas leves, tênis adequados e ter a supervisão de um profissional de Educação Física”, aconselha. “A musculação é importante aliada, porque trabalha fortalecimento dos músculos envolvidos na corrida”, recomenda.
Novos hábitos e ganhos emocionais
O funcionário público Roberto Velloso, de 34 anos, que começou a correr há cerca de um ano e meio. Membro de um grupo de corrida da Nike, calça o tênis e vai às ruas até cinco dias por semana. Percorre, dependendo da intensidade do treino, de cinco a 20 quilômetros. “Tudo fica bom. O desgaste emocional diminui, você esquece tudo. Aquilo vira seu mundo, sua realidade. É como se te teletransportasse para um lugar só de alegrias”, comenta, entusiasmado.
Roberto destaca ainda os benefícios para a perda de peso e o fortalecimento muscular, além de consequências mais indiretas: “Fiz novas amizades, que me ajudaram a melhorar meus hábitos alimentares”.
Ortopedistas alertam para lesões 
Antes de iniciar o treino é preciso saber o que se deve ou não fazer. Para o ortopedista Augusto Thadeu Cardoso Filho, especialista em Cirurgia do Joelho e Trauma do Esporte, é preciso respeitar os limites do corpo. “Isso quer dizer que a qualquer sinal de dor é necessário parar. Atletas de fim de semana são os mais suscetíveis a lesões”, comenta.
As mais comuns são distensão muscular, entorse de tornozelo e fascite plantar. “O ideal é que se procure antes um cardiologista e um ortopedista”, afirma. O ortopedista Karlos Celso de Mesquita lembra: “Sedentários que fazem esforço prolongado sem preparação adequada podem comprometer as estruturas dos membros inferiores e sofrer até fraturas”. Assim como Augusto, ele indica a caminhada como alternativa à corrida.
Colaborou o estagiário Caio Sartori

Iniciada a primeira fase de testes com ‘pílula do câncer’ em dez pacientes


Fosfoetanolamina, a ‘pílula do câncer’: projeto pode durar de seis meses a dois anos.
Fosfoetanolamina, a ‘pílula do câncer’: projeto pode durar de seis meses a dois anos.
Extra

Está sendo iniciada nesta segunda-feira, no Instituto do Câncer do estado de São Paulo (Icesp), a primeira fase de testes com a fosfoetanolamina, substância popularmente conhecida como “pílula do câncer”. Neste momento inicial da pesquisa, dez pacientes serão submetidos à experiência. Caso a droga não apresente efeitos colaterais, outras 200 pessoas serão incluídas nos testes.
São dez tipos de câncer em análise sob efeito da fosfoetanlamina. Sendo assim, 21 pacientes com cada tipo de doença receberão três comprimidos da substância.
O início dos testes foi anunciado pelo governador de SP, Geraldo Alckmin (PSDB), na última quinta-feira, e tem aprovação do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa do Ministério da Saúde.
Este primeiro momento de pesquisas está projetado para durar seis meses. Se três pacientes de cada grupo de 21 apresentarem alguma melhora após a ação da substância, é provável que o governo libere a chamada de mais 80 pessoas para uma nova fase de testes.
Ao fim do processo experimental, é possível que até mil indivíduos participem do projeto que deve durar, no máximo, dois anos. Caso os testes não demonstrem evolução no estado de doença de nenhuma das 210 pessoas, a pesquisa deverá ser encerrada dentro de seis meses.

Polícia invade Palácio Capanema e encerra ocupação contra Temer


FABIO BRISOLLA
A Polícia Federal invadiu o Palácio Capanema, no centro do Rio, na manhã desta segunda-feira (25) para encerrar a ocupação iniciada por manifestantes contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Cerca de 50 agentes da PF chegaram ao edifício pouco depois das 6h. Parte desta tropa seguiu direto para o segundo andar, onde fica o Salão Portinari, espaço que virou dormitório dos ocupantes.

Mauro Pimentel/Folhapress
RIO DE JANEIRO, RJ, 25.07.2016: REINTEGRACAO DE POSSE DO PALÁCIO CAPANEMA - Alysson Luan de Oliveira e um dos presos na operação Hashtag da Policia Federal. O jovem teria participado do planejamento de um atentado terrorista a ser realizado durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. (Foto: Mauro Pimentel/Folhapress, FSP-FOTO) ***EXCLUSIVO FOLHA***
Manifestante no Palácio Capanema, invadido pela Polícia Federal na manhã desta segunda (25)
Sede da Funarte (Fundação Nacional de Artes) e do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Nacional) no Rio de Janeiro, o edifício estava ocupado desde o dia 16 de maio. A ação foi tomada após Michel Temer assumir a Presidência e anunciar a extinção do Ministério da Cultura. Mesmo após o governo voltar atrás na decisão, o protesto prosseguiu no local.
Ao entrar no Salão Portinari, os policiais acordaram os manifestantes e desocuparam o espaço - celebrado pelos painéis de Candido Portinari que decoram as paredes.
Às 9h, um grupo de 30 ocupantes permanecia no pilotis do Capanema cercado pelos agentes da PF, que negociavam a saída do grupo. A área ao redor do Capanema foi isolada pelos agentes.
Diante da ação policial, os manifestantes fizeram coro contra o governo Temer. E algumas mulheres do grupo mostraram os seios como forma de protesto.
OUTRO LADO
O Ministério da Cultura soltou uma nota, afirmando que pediu a reintegração de posse para "que as obras de reforma orçadas em R$ 20 milhões tenham a devida continuidade" no local.
"O Ministério tem recebido relatos de depredação do patrimônio público, ameaça aos servidores públicos, uso de drogas, presença de indivíduos armados, além da circulação de menores", diz o texto enviado à imprensa.
"O risco de danos ao patrimônio público em prédios históricos é eminente e, por diversas vezes, funcionários públicos já foram impedidos de prestar serviços de atendimento e de circular livremente em seus locais de trabalho.