9.21.2017

Há politização inédita na atuação do MP, diz professor da UFPA


: <p>Cerimônia de devolução a Petrobras de valores recuperados pela Operação Lavajato. E/D: Deltan Dallagnol, coordenador da Operação e o procurador Rodrigo Janot (José Cruz/Agência Brasil)</p>
Para o jurista Sérgio Silva Rocha, professor da Universidade Federal do Pará e desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, a exacerbação da disputa na Procuradoria-Geral da República, verificada na transferência de poder entre Rodrigo Janot e Raquel Dodge e os vazamentos das apurações do  Ministério Público para a imprensa são provas da politização da Justiça; para o jurista, o combate à corrupção é sempre benéfico, mas deve observar regras básicas como a presunção da inocência e a observância da estrita legalidade na apuração dos fatos e coleta da prova

Lula alerta procuradores: “estão mexendo com quem não roubou”

 Ricardo Stuckert
O ex-presidente Lula, que lidera todas as pesquisas de intenção de voto para 2018, disse nesta quinta-feira, 21, que os investigadores da Lava Jato estão mexendo com "um político que não roubou e não tem medo deles", e que se sente "estimulado" para defender sua honra; "Não é porque estou acima de qualquer coisa. É porque eu não fiz o que eles dizem que eu fiz. Se eles estão acostumados a mexer com político que roubou, que fez corrupção, que enriqueceu e está com o rabo no meio das pernas, eles estão mexendo com um político que não roubou, que não tem medo deles e que a única coisa que tem é a sua honra para defender", disse Lula durante o lançamento da plataforma de debates O Brasil que o povo quer, da Fundação Perseu Abramo

Temer perde por 10 a 1 no STF e será julgado como chefe de quadrilha na Câmara


 Foto: Nelson Jr./SCO/STF (20/09/2017) Após dois dias de julgamento, por 10 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (21) pelo envio imediato à Câmara dos Deputados da segunda denúncia apresentada pelo ex-procurador-geral da República (PGR) Rodrigo Janot contra Michel Temer; a partir de agora, caberá à Casa decidir sobre autorização prévia para que a Corte julgue o caso, conforme determina à Constituição; entendimento do Supremo contraria pedido feito pela defesa de Temer, que pretendia suspender o envio da denúncia para esperar o término do procedimento investigatório, iniciado pela PGR, para apurar ilegalidades no acordo de delação da JBS, além da avaliação de que as acusações se referem a um período em que o presidente não estava no cargo, fato que poderia suspender o envio

Texto-base de PEC aprovada em 2º turno na Câmara prevê fim de coligações

Agência Brasil
Após sucessivas tentativas de votação, o plenário da Câmara aprovou no final da noite desta quarta-feira (20), em segundo turno, a análise do texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 282/2016, que estabelece o fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais a partir de 2020. Faltam votar três destaques antes da PEC seguir para o Senado.
No início da sessão, os deputados aprovaram destaque do PPS que propôs que o fim das coligações nas eleições proporcionais só ocorra a partir das eleições municipais de 2020, quando serão eleitos os vereadores. Com isso, as coligações ficam mantidas para as eleições de deputados federais e estaduais do ano que vem. O destaque foi aprovado por 384 votos contra 87 e quatro abstenções. Inicialmente, o texto da proposta estabelecia a mudança já nas próximas eleições, em 2018.
Durante a votação, o presidente em exercício, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG) reiterou o compromisso de que compensaria o esforço dos parlamentares caso conseguissem concluir a votação ainda nesta sessão com a liberação da presença na quinta-feira (21). “Se vocês comprometerem e ficarem aqui e avançarmos, nós vamos ficar aqui até a 1h para amanhã não ter painel [eletrônico]”, disse Ramalho.
Plenário da Câmara durante votação de destaques à PEC 282/16
Plenário da Câmara durante votação de destaques à PEC 282/16
Para conseguir concluir a análise da PEC nesta sessão, os deputados aprovaram, de forma simbólica, um requerimento de quebra de interstício para que pudesse ser feita a votação do segundo turno sem o transcurso de cinco sessões plenárias, conforme prevê o regimento da Câmara. A medida viabilizaria a conclusão da análise da proposta para ser enviada à nova votação no Senado.
No entanto, apesar da tentativa de Ramalho em manter os deputados no plenário, a votação não foi concluída após pedido de líderes em virtude da diminuição no quórum. Dessa forma, ainda estão pendentes de análise três destaques ao texto-base.
“O quórum está baixo, é arriscado votar. Temos destaques polêmicos e não houve acordo de manutenção ou supressão de textos. Vamos deixar o destaque para a próxima terça-feira”, disse o líder do PP, deputado Arthur Lira (AL).
Nova sessão foi marcada para a concluir a análise do tema na próxima terça-feira (26). Para o sistema entrar em vigor nas próximas eleições, a PEC precisa ser votada pelo Senado e ser promulgada até o dia 7 de outubro, um ano antes das eleições de 2018.
Cláusula de desempenho
O texto já aprovado prevê a adoção de uma cláusula de desempenho para que os partidos só tenham acesso aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda na rádio e na TV se atingirem um patamar mínimo de candidatos eleitos em todo o país.
A cláusula de desempenho prevê que a partir de 2030 somente os partidos que obtiverem no mínimo 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço dos estados, terão direito aos recursos do Fundo Partidário. Para terem acesso ao benefício, os partidos também deverão ter elegido pelo menos 15 deputados federais distribuídos em pelo menos um terço dos estados.
O mesmo critério será adotado para definir o acesso dos partidos à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. A mudança, no entanto, será gradual, começando pelo piso de 1,5% dos votos válidos e 9 deputados federais eleitos nas eleições de 2018; chegando a 2% e 11 deputados eleitos, em 2022; a 2,5% e 13 eleitos em 2026, até alcançar o índice permanente de 3% e 15 eleitos em 2030.

Vamos Abraçar o Setembro Amarelo?


Na grande maioria dos casos, o suicídio pode ser prevenido. Estudos sugerem que o melhor jeito de prevenção é entender os fatores de risco.
Não se trata de uma doença, porém é a consequência de diversas desordens mentais, particularmente depressão profunda.
As taxas de suicídio são maiores em adolescentes, adultos jovens e idosos, sendo a maior em idosos acima de 65 anos.

O risco também é alto nos seguintes grupos:

– Idosos que perderam a esposa.
– Pessoas que tentaram cometer suicídio anteriormente.
– Pessoas com histórico familiar de suicídios.
– Pessoas com histórico de abuso físico, emocional ou sexual.
– Pessoas que possuíam amigos que cometeram suicídio.
– Pessoas solteiras e desempregadas.
– Pessoas com dor crônica ou doenças incapacitantes ou terminais.
– Pessoas com comportamento violento e impulsivo.
– Pessoas que acabaram de sair de hospitalização psiquiátrica.
– Pessoas com profissões específicas, como policiais e assistentes de saúde que lidam com pacientes terminais.
– Pessoas com problemas de abuso de drogas.

Quais são os sinais de alerta para o suicídio?

– Tristeza excessiva. Longos períodos de tristeza podem ser um sinal de depressão, que é a maior causa para o suicídio.
– Calma repentina. A calma repentina depois de um longo período de depressão pode ser um sinal de que a pessoa tenha decidido se matar.
– Afastamento. Preferir ficar sozinho e evitar atividades sociais pode ser um sintoma de depressão.
– Mudanças na personalidade e aparência. Mudanças de comportamento e atitudes como falar e se mover de forma rápida ou lenta ou parar de ligar para a aparência podem ser sinais de um suicida.

– Comportamento perigoso ou auto prejudicial. Direção perigosa, sexo sem proteção, abuso de drogas são sinais de que a pessoa não valoriza mais a vida.
– Trauma recente ou crise. A morte de um ente querido ou bichinho de estimação, o termino de uma relação, a perda de um emprego podem ser situações que causem depressão.
– Fazer preparativos. Visitar amigos e família, doar bens materiais, fazer testamento entre outras podem ser sinais de que a pessoa está pensando em acabar com a própria vida.
– Ameaçar. Mesmo que possa não acontecer, é importante levar a sério qualquer ameaça de suicídio.
Pessoas que tem acesso ao suporte familiar e serviços de saúde mental tem menos probabilidade de agir nos impulsos suicidas do que as pessoas isoladas. Se você perceber sinais de suicídio em pessoas conhecidas, não tenha medo de pergunta-las se estão deprimidas ou pensam em suicídio. Em alguns casos a pessoa só precisa saber que alguém se importa e tem tempo para ela. É importante que se confirmada a suspeita, se indique assistência médica.

O que fazer se alguém que você conhece fala sobre cometer suicídio?

– Não deixe a pessoa sozinha. Alerte familiares e amigos.
– Peça que a pessoa lhe dê quaisquer armas ou objetos cortantes. Leve embora esses objetos.
– Tente acalmar a pessoa.
– Liga para a emergência ou a leve para a sala de emergência.

A maior arma que possuímos contra o suicídio é a informação!

O setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Saiba mais sobre a campanha no site setembroamarelo.org.br.
Que esse setembro amarelo seja de conscientização sobre este assunto tão importante.
Um bom final de semana.
FONTE:CLEVELANDCLINIC.

Se sair o Temer, quem fica no lugar dele?: R- Rodrigo Maia

Planalto fica em alerta com dura crítica de Maia

O Palácio do Planalto ficou em alerta com a dura crítica do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a ministros do governo e ao PMDB.

Rodrigo Maia disse que os aliados do governo não podem "ficar levando facada nas costas".

"Se é assim que eles querem tratar um aliado, eu não sei o que é ser adversário", acrescentou Maia.

Interlocutores do presidente Michel Temer ficaram preocupados com a decisão de Maia de externar essa contrariedade.

A preocupação no governo é que Maia fez a crítica pública no momento em que a Câmara deve receber a segunda denúncia contra Temer.

Um interlocutor de Temer chegou a lembrar que o fato gerador dessa insatisfação aconteceu há duas semanas, quando o senador Romero Jucá, presidente do PMDB, conseguiu filiar ao partido o senador Fernando Bezerra Coelho (ex-PSB).

O DEM trabalha para receber dissidentes do PSB e aumentar a bancada do partido. Na fala desta quarta, Maia atacou publicamente a postura do PMDB para "reduzir" o crescimento do DEM.

O Planalto está consciente de que, em véspera da votação da segunda denúncia, deve tentar diminuir o clima de insatisfação dos aliados

9.20.2017


247 – A presidente deposta Dilma Rousseff divulgou nota nesta quarta-feira 20, em que contestou o discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nas Nações Unidas e também a postura subalterna de Michel Temer na assembleia-geral da ONU.

Leia a nota da presidenta Dilma:
COM DISCURSO DE ÓDIO NA ONU, TRUMP AMEAÇA A HUMANIDADE
O discurso colérico de Trump na ONU, instituição criada para buscar a paz e promover o convívio entre as nações, é uma ameaça à humanidade.
Ao afirmar que pode destruir um país, Trump evidencia sua posição belicista, baseada na ameaça de um holocausto nuclear.
Trump ataca Cuba, promete romper o acordo nuclear com o Irã e exige apoio a uma intervenção na Venezuela.
As atitudes de Trump regridem à guerra fria, ameaçam nações livres e colocam a existência da humanidade em risco.
É lamentável que o governo ilegítimo do Brasil tenha se curvado a Trump e se calado diante das suas ameaças de intervenção na Venezuela.
Dilma Rousseff

Hipocrisia, golpismo e malas tornaram Aécio o mais rejeitado do País



Bruno Magalhães/Divulgação | Marcos Oliveira/Agência Senado | Reprodução
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) poderia ser hoje um dos nomes mais fortes para a disputa presidencial de 2018 se tivesse aceitado sua derrota nas eleições de 2014 para a presidente deposta Dilma Rousseff; no entanto, a pesquisa CNT/MDA o aponta como o presidenciável mais rejeitado do Brasil, em quem 69,5% dos brasileiros não votariam em nenhuma hipótese; os motivos são três: a contribuição decisiva para destruir a democracia brasileira, a hipocrisia diante da corrupção, uma vez que ele avaliza o apoio do PSDB a Michel Temer, e as próprias malas de R$ 2 milhões da JBS que foram entregues a seu primo Fred Pacheco; seu pedido de prisão foi novamente adiado e poderá ser julgado pelo STF no dia 26 deste mês 
Nas últimas quatro eleições presidenciais, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi o tucano com o melhor desempenho. Em 2014, ele chegou mais perto de vencer do que José Serra em 2002 e 2010 e do que Geraldo Alckmin em 2006.
Portanto, se tivesse aceitado a sua derrota para a presidente deposta Dilma Rousseff em 2014, ele seria hoje um dos nomes mais fortes para a disputa presidencial de 2018. Teria capital político e o controle da máquina tucana.
Aécio, no entanto, escolheu outro caminho: o golpismo ancorado num moralismo hipócrita. O político mineiro se aliou a Eduardo Cunha, preso em Curitiba, para derrubar Dilma e instalar Michel Temer no poder, hoje denunciado por corrupção, obstrução judicial e comando de organização criminosa. 
O resultado dessa estupidez política foi apontado pela pesquisa CNT/MDA, que hoje aponta Aécio como o presidenciável mais rejeitado do Brasil, em quem 69,5% dos brasileiros não votariam em nenhuma hipótese.
Os motivos são três: a contribuição decisiva para destruir a democracia brasileira, a hipocrisia diante da corrupção, uma vez que ele avaliza o apoio do PSDB a Michel Temer, e as próprias malas de R$ 2 milhões da JBS que foram entregues a seu primo Fred Pacheco.
A esse respeito, Aécio poderá ter seu pedido de prisão julgado pelo STF no dia 26 deste mês.
No campo da rejeição, Aécio é seguido nesse quesito por Ciro Gomes (54,8%), Alckmin (52,3%), Bolsonaro (45,4%), Doria (42,9%), Lula (50,5%) e Marina Silva (51,5%). Ou seja: de todos os presidenciáveis, é o único efetivamente

Janot sobre Temer: “não tenho amigo com R$ 51 milhões em apartamento”


O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot já demonstrou que irá reagir à altura aos ataques contra ele desferidos por Michel Temer e seus aliados; em entrevista ao Correio Brasiliense nesta quarta-feira, 20, Janot disse que defesa de Temer passou a atacá-lo, dada a dificuldade de rebater provas robustas; "Quando o fato é chapado, quando o fato é mala voando, são R$ 51 milhões dentro de apartamento, gente carregando mala de dinheiro na rua de São Paulo, gravação dizendo “tem que manter isso, viu?”, há uma dificuldade natural para elaborar defesa técnica nesses questionamentos jurídicos. E uma das estratégias de defesa é tentar desconstruir a figura do acusador. É assim que eu vejo", disse Janot; "De repente, passo a ser o vilão da história, o dito vilão da história, porque há necessidade de desconstituir a figura do acusador. O que fizeram comigo vão fazer com outros. Tenha certeza absoluta", disse o ex-PGR

Mulheres fazem as noticias


Últimas do M

Dermatite atópica em bebês e crianças: os sinais e o tratamento

Diferente do que algumas pessoas pensam, a doença que atinge os pequenos a partir dos dois meses de vida não é contagiosa. Saiba mais.
Você começou a perceber que o seu filho está se coçando com frequência, que a pele dele está ressecada, avermelhada e até com casquinhas? Talvez ele tenha dermatite atópica, uma doença inflamatória crônica que acomete crianças a partir dos dois meses de vida e também adultos. “O que muda é a localização das lesões: nos bebês, elas ficam principalmente na região do rosto, bochechas e pescoço. À medida que eles crescem, as feridas se concentram nas dobras das pernas e dos braços”, explica Paula Sanchez, dermatologista de São Paulo.
Atualmente, estima-se que cerca de 10 a 15% da população enfrente o problema em algum momento da vida. As pessoas com asma e rinite estão mais sujeitas a apresentá-lo e, embora não seja hereditário, o componente genético é importante. “Se os pais tiverem, a chance do filho apresentar a dermatite atópica aumenta, por isso é importante investigar se há algum antecedente, mas é claro que fatores ambientais também estão relacionados”, esclarece a médica.
Há, ainda, alguns aspectos que agravam a patologia, como as estações do ano. No frio, a pele costuma ficar mais ressecada, já no calor a transpiração aumenta. Locais com poeira, ácaros, substâncias químicas, como produtos de limpeza, e roupas sintéticas ou de lã são outras coisas que pioram. “O principal tratamento é usar hidratantes (sem cheiro e cor). Também indicamos pomadas de corticoides e imunomoduladores tópicos e orientamos que a criança tome banhos mornos, use sabonetes neutros somente nos locais em que realmente precisa – região genital, mãos, pés, braços – e evite buchas”, orienta a dermatologista.
E apesar da coceira ser um dos principais sintomas da enfermidade, o ideal é que os pequenos resistam à tentação, já que esse hábito também desencadeia o processo inflamatório. Por esse motivo, é recomendado que os baixinhos estejam sempre com as unhas cortadas e os bebês usem luvas. Diferente do que algumas pessoas acreditam, a dermatite não é contagiosa e é fundamental que os pais deixem isso claro – principalmente no ambiente escolar, para evitar que o filho sofra algum tipo de bullying.
(LucaLorenzelli/Thinkstock/Getty Images)
“Normalmente, os pequenos que têm a enfermidade acabam ficando mais prostrados, quietinhos e até deprimidos. Eles ficam chateados porque, às vezes, são discriminados por causa das lesões de pele. É importante conversar com os amiguinhos e até contar com grupos de apoio”, informa Paula. A AADA (Associação de Apoio à Dermatite Atópica) apresenta em seu site rodas de conversa que são realizadas em vários estados brasileiros e contam com pacientes que enfrentam o problema – entre eles crianças -, familiares e especialistas da área de saúde.
Apesar de não ter cura, a doença tende a regredir com a chegada da puberdade. Há especialistas que relacionam o surgimento da enfermidade com a fase em que a criança para de tomar o leite materno e introduz as comidinhas na sua dieta, mas essa é uma questão controversa. “Tem estudo que mostra que sim e outros que não existe essa associação. Mas ainda há pesquisas que estão sendo feitas e, talvez, no futuro a gente descubra que tem realmente relação”, pontua a dermatologista.
Não há maneiras de evitar a dermatite atópica, mas ela pode ser controlada com medidas relativamente simples. Se a criança tem rinite (ou asma) ou mesmo se os pais apresentam o problema, é importante ficar de olho. “Alguns estudos recentes dizem que hidratar a pele dos bebês é uma maneira de prevenir o problema, principalmente nos que apresentam esse histórico”, afirma a especialista. Procurar um dermatologista assim que os primeiros sintomas forem percebidos e seguir as instruções dadas é o primeiro passo para garantir a saúde do seu filho.


Conheça e saiba usar 37 plantas medicinais


Um guia para esclarecer, de vez, como recorrer às propriedades da nossa flora sem correr riscos

O uso de plantas para tratar doenças é tão antigo quanto a história da humanidade, mas saber conservar e usar cada tipo é fundamental para garantir que o remédio funcione. Antes de tudo, apague a crença de que tudo que é natural não faz mal. “As plantas necessitam de recursos químicos para se defender, como alguns alcaloides, que, por serem amargos e tóxicos, afastam predadores, ou óleos essenciais, que atraem aves para a polinização”, exemplifica a farmacêutica Ivana Suffredini, da Universidade Paulista, na capital. “Assim como algumas dessas substâncias podem atuar positivamente no organismo humano, outras provocam sérios danos”, alerta.
Outra confusão que precisa ser desfeita é usar os termos plantas medicinais e fitoterápicos como sinônimos. “Fitoterápicos são remédios, que passam por uma rigorosa avaliação de segurança e eficácia em seres humanos, com uma concentração de ativos padronizada, o que nem sempre ocorre com as folhas para o preparo de chás”, diferencia a geriatra especializada em fitomedicina Rita Ferrari, de São Paulo.
Não quer dizer que a população tenha de abandonar as infusões, respeitando-se algumas medidas de cautela. Confira a seleção que fizemos com base no livro “Guia de plantas medicinais de A a Z: 76 espécies aprovadas pela ciência”.