1.26.2017

Brasil já tem o seu Trump: Bolsonaro vem aí




bolsonaro Brasil já tem o seu Trump: Bolsonaro vem aí
O deputado Jair Bolsonaro
Ninguém no Brasil comemorou mais do que ele e seus seguidores a grande zebra que foi a vitória de Donald Trump na eleição americana.
"Estou muito feliz", disse Jair Bolsonaro ao repórter Ranier Bragon, saboreando as manchetes dos jornais sobre a sua mesa, sem disfarçar que ganhou novo ânimo para a sua candidatura presidencial em 2018.
Com 8% das intenções de voto na última pesquisa Datafolha, o candidato da extrema direita brasileira foi logo mostrando suas semelhanças com o presidente eleito dos Estados Unidos: "Tem muita coisa em comum comigo, ele foi massacrado pela mídia de lá como eu sou massacrado pela daqui, não esquece esse detalhe".
Na mesma quarta-feira em que o mundo reagia com perplexidade e temor à vitória de Trump, aqui no Brasil a Comissão de Ética da Câmara livrava Bolsonaro, ex-militar e deputado federal do PSC do Rio de Janeiro, do processo de cassação do seu mandato por apologia à tortura.
Em seu discurso ao votar a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em abril, o deputado tinha feito elogios ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chamando-o de " herói brasileiro". Morto em 2015, Ustra foi um dos comandantes da repressão durante o regime militar, acusado de torturar presos políticos.
Por 11 votos a 1, o Conselho de Ética mandou arquivar a representação do PV que pedia a cassação do mandato do parlamentar.
Cercado por onde passa para fazer selfie com seus admiradores, o capitão do Exército que virou campeão de votos no Rio e já elegeu também dois filhos como parlamentares, lembra mesmo o jeito histriônico e as ideias xenófobas, homofóbicas e beligerantes de Donald Trump.
Ao posar para fotos, repete sempre o gesto de atirar com o dedo indicador para mostrar que não está de brincadeira. Como Trump, defende o direito de todo homem andar armado e, para proprietários de terras, quer liberar também o uso de fuzis, a exemplo do que a lei permite nos Estados Unidos.
Por toda a onda conservadora que vemos avançar aqui e no mundo inteiro, recomenda-se não desprezar a candidatura presidencial de Jair Bolsonaro, a exemplo do que as lideranças políticas e a mídia americana fizeram com Donald Trump no início da campanha. E deu no que deu.
 32 Comentários

2 comentários:

Antonio Celso da Costa Brandão Brandão disse...

O melhor deste Post são os comentarios Hilários.

Anônimo disse...

O blog é para farmacêuticos ou para PETRALHAS e MORTADELAS.

Em tempo, Lula disse que usaria o SUS, porque não manda a Marisa para lá com a ajuda de uma equipe de cubanos?

Em tempo 2, se o Bolsonaro for tão bom como o Trump porque não? Menos traficantes e bandidos nos roubando.