4.06.2010

Chuva, Rio de Janeiro - 6/4/2010 ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Sobe para 66 o número de mortos no estado do Rio
Subiu para 66 o número de mortos em decorrência da chuva em todo o estado do Rio. As informações são do assessor chefe de comunicação social da Defesa Civil Estadual, Coronel Sabas. Os deslizamentos de terra ocorreram no Grande Rio, Niterói, São Gonçalo e Petrópolis.

Morro da Mangueira tem 55 famílias desalojadas
A chuva deixou 55 famílias desalojadas no Morro da Mangueira, na Zona Norte do Rio. Os desabrigados estão na quadra da escola de samba. Os deslizamentos de terra atingem a comunidade desde o início das chuvas, na segunda-feira (5). As informações são da assessoria de imprensa da escola de samba.

Deste total, 30 famílias moravam em um prédio que desabou na localidade conhecida como Buraco Quente, uma das mais tradicionais do morro.

Segundo o presidente da associação de moradores, Simões Nascimento, parte dessas pessoas vão para casa de familiares, mas ao menos 50 famílias vão ficar na quadra da Mangueira.

O presidente da escola de samba, Ivo Meireles, esteve no local do desabamento e disse que a quadra e os camarotes estão liberados para abrigar as pessoas.

Polícia Militar abre quartéis para atender a população
A Polícia Militar anunciou no início da tarde deste terça-efira (6) que vai abrir os batalhões para atender à população desabrigada e a quem, por causa das chuvas, não estiver conseguindo voltar pra casa.

“Os batalhões serão a solução provisória enquanto os governos providenciem o devido acolhimento. E a população em trânsito encontrará nos batalhões um local seguro para aguardar a estiagem.”, disse Coronel Millan.

Segundo ele, a PM está realizando ações táticas nas ruas, com equipes de motociclistas do Batalhão de Choque (BPChq), onde a retenção do trânsito possa se tornar risco de assalto para os motoristas. As aeronaves e embarcações do Grupamento Aéreo Marítimo (GAM) estão à
disposição da Defesa Civil para apoio em suas ações de resgate, bem como o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

Rio transborda e ameaça delegacia de São Gonçalo
Enchente em São Gonçalo

O bairro de Alcântara, em São Gonçalo (RJ) se encontra alagado, os carros estão impossibilitados de passar em certas áreas, pessoas estão ilhadas, casas e carros estão debaixo d’água.

O rio Alcântara, que corta a cidade, está transbordando e já inundou o estacionamento do mercado Assai e está quase chegando à delegacia 74º DP.

São Gonçalo já registrou nove mortes por causa da chuva (Texto e foto: Guilherme Valverde Felicissimo/VC no G1)


Defesa Civil resgata pelo menos 200 pessoas no Estado do Rio
Pelo menos 200 pessoas já foram resgatadas por técnicos da Defesa Civil desde o início das chuvas, na segunda-feira (5). As informações são do secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes.
As chuvas já provocaram a morte de cinquenta pessoas em todo o Estado do Rio.

Segundo o prefeito Eduardo Paes, o número de mortos na cidade chega a 26. A prefeitura de Nilópolis confirmou a primeira vítima da Baixada Fluminense.

Em Niterói, na região Metropolitana, 14 pessoas morreram vítimas de deslizamento de terra. Segundo a prefeitura de São Gonçalo, mais nove morreram no bairro Novo México.

Encostas de toda a cidade correm risco de desabamento, diz Defesa Civil
As encostas de toda a cidade correm risco de desabamento. A informação é da Defesa Civil. Por causa do alerta, o prefeito Eduardo Paes faz apelo para que as pessoas deixem os locais de risco. As chuvas já fizeram 26 vítimas na cidade.

Os deslizamentos de terra mataram 12 pessoas no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, no Centro do Rio; um no Andaraí, três no Morro do Borel; na Tijuca; cinco no Morro dos Macacos, em Vila Isabel; um no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste; três no Morro do Turano, no Rio Comprido; um na Ladeira dos Guararapes, no Cosme Velho.

Ainda segundo a Defesa Civil Municipal, a cidade tem 20 desaparecidos. São 15 no Morro dos Prazeres, um no Andaraí, um no Borel e três no Morro dos Macacos.

“A maior preocupação da prefeitura agora não é procurar culpados. Não há galerias pluviais limpas que resistam a esta quantidade de chuva. Não vamos poupar esforços para resolver a situação, que ainda é muito crítica. Eu vou trabalhar com a hipótese de ficar muito pior”, disse o prefeito.

O Túnel Noel Rosa está interditado no sentido Vila Isabel. A Estrada da Grota Funda, Avenida Niemeyer e Grajaú Jacarepaguá estão interditadas nos dois sentidos.

Segundo o prefeito Eduardo Paes é a pior chuva da cidade do Rio que tenha provocado enchentes e alagamentos. Em 1966, foram 245 milímetros de chuva em 24 horas; Em 1988, 230 milímetros em 24 horas; em 1996, 201 milímetros em 24 horas; e em 2010, 288 milímetros em 24 horas

‘A situação é triste em Niterói’, diz secretário


Enchente em Niterói (Foto: Cristina Loyola Erthal/VC no G1)

Depois de sobrevoar Niterói e São Gonçalo, o Secretário estadual de Defesa Civil, Sérgio Cortes, chamou de “extremamente triste” a situação na região. Segundo ele, há 150 homens do Corpo de Bombeiros na área.

“O apelo que fazemos é que todas as pesosas que sentirem que existe uma quantidade maior de lama e de água, saiam imediatamente das suas casas e liguem para o Corpo de Bombeiros. Sabemos que é muito tirste perder as coisas, mas é pior perder a vida”, ponderou ele.

Côrtes alerta ainda para que a população não tente fazer socorro por conta própria. “As pessoas não devem tentar fazer o socorro. Isso tem que ser feito por profissionais”.

Aeroporto Santos Dumont reabre e opera por instrumentos
O Aeroporto Santos Dumont reabriu para pousos e decolagens e opera por instrumentos. Até agora, 13 voos estão com as partidas atrasadas, e há atrasos na chegada de outros 11 voos. Há registro de voos previstos para as 7h da manhã que ainda não decolou.

Queda de barreiras complica o trânsito na Rodovia Rio-Santos
A Polícia Rodoviária Federal informou que duas barreiras caíram na manhã desta terça-feira (6) na Rio-Santos, nos km 451 e no km 457. Segundo os agentes, ninguém ficou ferido com os delizamentos de terra.

As barreiras caíram na altura de Figueira do condomínio Porto Galo, segundo a PRF. O trânsito segue em esquema de siga e pare e os motoristas enfrentam retenções nos locais.

Na Ponte Rio-Niterói, o tráfego foi interrompido por duas horas no início da manhã devido as obstruções nas diversas saídas. Segundo a concessionária que administra a via, o fluxo segue normal e sem retenções nesse momento.

Na Via Dutra, pontos de alagamento causam trânsito intenso do km 163 ao km 164.

Na Washington Luiz, a PRF informou que existe um ponto de alagamento no km 113, na altura de Campos Elíseos. Segundo a Polícia Rodoviária, o fluxo está menor do que o normal, e por isso o trânsito segue sem retenções.

Defesa Civil do Rio registra 50 mortes pela chuva
As chuvas já provocaram a morte de 50 pessoas no Estado do Rio, desde a noite de segunda-feira (5).

Segundo balanço da Defesa Civil, são 26 mortos na cidade do Rio de Janeiro. Os deslizamentos de terra mataram 12 pessoas no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, no Centro do Rio; um no Andaraí, três no Morro do Borel; na Tijuca; cinco no Morro dos Macacos, em Vila Isabel; um no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste; três no Morro do Turano, no Rio Comprido; um na Ladeira dos Guararapes, no Cosme Velho.

A prefeitura de Nilópolis confirmou a primeira vítima da Baixada Fluminense.

Em Niterói, na Região Metropolitana, 14 pessoas morreram vítimas de deslizamento de terra. Segundo a prefeitura de São Gonçalo, mais nove morreram no bairro Novo México.

Principais universidades suspenderam aulas no Rio
UFRJ, Uerj, UNIRIO e PUC-Rio suspenderam as aulas nesta terça-feira (6) devido aos transtornos causados pelas chuvas em toda a cidade. Na UFRJ, apenas o hospital universitário Clementino Fraga Filho funciona para serviços emergenciais. Pela manhã, faltou luz na PUC. Setores essenciais foram mantidos com gerador.

Tempo continua chuvoso no Rio
Um boletim divulgado pelo Instituto Nacional de Meteorologia informa de que a chuva não deve dar trégua aos cariocas nesta terça-feira (6).

Segundo o Inmet, por causa de “uma frente fria no litoral da Região Sudeste, associada a áreas de instabilidade, persistem as condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de pancadas de chuva, moderadas a ocasionalmente fortes, ventos de rajada em áreas isoladas de todo Estado do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Para estes estados são previstos acumulados significativos de
chuva”.

Desabamento atinge o Morro da Mangueira

Uma casa de três andares desmoronou na rua Visconde de Niterói, conhecida como Loteamento, no Morro da Mangueira, no Rio, neta terça-feira (6). O desmoronamento ameaça outras casas do morro.

A Defesa Civil foi deslocada para o local. Algumas casas estão ameaçadas de serem atingidas caso ocorra novos deslizamentos. A recomendação é que as pessoas deixem suas casas (Foto: Rogério da Cruz Neves/VC no
Chuva deixa vários bairros sem luz
A chuva forte deixou vários bairros do Rio e da Região Metropolitana sem luz. Segundo a Light, falta energia em trechos da Tijuca, Rio Comprido, Santa Teresa, Botafogo, São Conrado, Laranjeiras, Ilha do Governador e Barra da Tijuca.

Segundo a empresa, técnicos continuam na estrada Grajaú-Jacarepaguá, para restabelecer o fornecimento de energia. Há equipes também, desde ontem, no Morro do Borel e no Andaraí auxiliando o trabalho do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil nas localidades.

O fornecimento foi restabelecido em trechos da Taquara, Recreio, Vila Isabel e São Cristóvão. Porém, devido aos alagamentos, as equipes encontram dificuldades para acessar alguns locais que necessitam de reparos. A Light pede que, nessas circunstâncias, para prevenir que as pessoas fiquem presas nos elevadores devido a eventuais interrupções no fornecimento de energia, as pessoas dêem preferência ao uso das escadas. O telefone para comunicar ocorrências de interrupções é o Disque-Light Emergência 0800-0210-196.

Na Região Metropolitana, segundo a Ampla, foram afetados os bairros Largo da Batalha, São Francisco, Santa Rosa, Fonseca, Icaraí, além de Itaipu e Camboinhas, na Região Oceânica. Já em São Gonçalo, as áreas mais afetadas são Jardim Catarina e Barro Vermelho. O temporal, que chegou acompanhado de raios e fortes ventos, derrubou galhos e árvores sobre a rede, além de barreiras, o que tem dificultado o trabalho das equipes de emergência para restabelecer a energia.

Trânsito continua complicado em vários pontos do Rio
Com mais de 15 horas de chuva, o trânsito continua complicado em vários pontos do Rio. De acordo com o último boletim da CET-Rio, o motorista enfrenta problemas na Rua Francisco Bicalho, sentido Centro, na Avenida Brasil, na Avenida Rodrigues Alves, no Viaduto do Gasômetro, na Praça da Bandeira e na saída do Túnel Rebouças para a Avenida Epitácio Pessoa, na Lagoa.

Na Zona Sul, estyão alagads as ruas Jardim Botânico e Pacheco leão, além das avenidas Epitácio Pessoa, próximo à Fonte da Saudade e Borges de Medeiros, próximo à Rua Maria Angélica. Na Mário Ribeiro, um ônibus enguiçado e um carro abandonado próximo ao Hospital Miguel Couto complicam ainda mais a situação na região.

Na Linha Vermelha, motoristas desligaram os carros por causa do trânsito parado. Passageiros deixam o ônibus e tentam seguir a pé e alguns motociclistas, que seguiam no sentido Centro, trafegam na contramão.

Cariocas tentam voltar pra casa há mais de 12 horas
A estudante de biologia Lílian Heeren Raschle, de 24 anos, está tentando voltar pra casa desde as 19h de segunda-feira (5), quando saía da faculdade, no início da chuva. Ela mora no jardim Botânico, mas teve que dormir na casa do pai, na Gávea. Acordou às 5h para tentar chegar em casa, mas acabou tendo que ir para a casa de uma amiga em Copacabana, onde aguarda a água baixar. “É uma sensação de impotência, porque você não consegue chegar em casa, que é uma coisa tão natural.”

Quem também está a mais de 12 horas para chegar em casa é a atendente de telemarketing Roberta Dias. Ela trabalha no Centro do Rio e mora no Engenho de Dentro. Na noite de segunda-feira, ela dormiu na casa da mãe, em Copacaban. “Tentei ir pra casa à noite, fiquei mais de uma hora no ponto, hoje acordei cedo e estou até agora tentando voltar”, contou.

De férias no Rio há trê sdias, a turista Francesa Christine Favre, ressaltou que o Rio é uma cidade despreparada: “Acho que vai ser um problema as Olimpíadas no Rio”.


Chuva, Rio de Janeiro
06 de abril de 2010 às 10:35
Chuva deixa Lagoa marrom e entorno deserto

Lagoa com cor de barro

A água da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, ficou com cor de barro por causa da chuva que atinge o Rio. As vias do entorno da Lagoa estão desertas por causa dos alagamentos que impedem a passagem dos carros. A foto ao lado mostra o entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas perto do corte do Cantagalo (Foto: Rodrigo Onias/Globo.com)


Chuva interdita estradas em Angra dos Reis
Chove forte em Angra dos Reis, no Sul Fluminense, desde a tarde de segunda-feira (5). Houve queda de barreiras na Rodovia Rio-Santos, próximo aos bairros Garatucaia e Pingo D’Água. O trânsito está em meia pista.

Outra queda de barreira interdita a Rodovia Saturnino Braga. O acidente ocorreu próximo ao bairro Serra D´Água. Máquinas da prefeitura estão limpando a pista.

A chuva também provocou alagamentos nos bairros Cantagalo, Garatucaia, Ariró e Japuíba, onde a água invadiu pelo menos 30 casas. A Defesa Civil registrou queda de árvores em quatro bairros. Ninguém ficou ferido.

Na Ilha grande, uma cachoeira transbordou na comunidade de Matariz, mas não provocou danos. Um deslizamento de terra atingiu uma casa no bairro Monsuaba. O imóvel estava vazio.

Quedas de barreiras e árvores complicam o trânsito em Niterói
Os transtornos causados pela chuva complicam o trânsito também em Niterói e Sâo Gonçalo, na Região Metropolitana. A Rodovia Amaral Peixoto está interditada. Na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, os carros não conseguem passar por causa do alagamento que tomou toda a via.

Em São Francisco, a queda de uma barreira interditou parcialmente a Estrada da Cachoeira e a queda de uma árvore, deixa em meia pista o tráfego na Estrada Fróes, na chegada ao bairro.

No Fonseca, a Rua Noronha Torerzão foi interditada completamente por causa de uma queda de barreira. A Alameda São Boaventura tem o tráfego completamente congestionado nos dois sentidos.

Já são 32 o número de mortos pela chuva no Rio
As chuvas já provocaram a morte de trinta e duas pessoas no Estado do Rio, desde a noite de segunda-feira (5). A prefeitura de Nilópolis confirmou a primeira vítima da Baixada Fluminense.

Em Niterói, na Região Metropolitana, 14 pessoas morreram vítimas de deslizamento de terra. Segundo a prefeitura de São Gonçalo, mais nove morreram no bairro Novo México.

Na cidade do Rio são oito mortos. Os desabamentos ocorreram no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste; Morro do Borel, na Tijuca; Turano, no Rio Comprido e Macacos, em Vila Isabel, todos na Zona Norte. As informações são da Defesa Civil Estadual.

Queda de árvore deixa Túnel Acústico da Gávea em meia pista
A queda de mais uma árvore interditou parcialmente o tráfego na Rua Padre Leonel Franca, na entrada do Túnel Acústico da Gávea, no sentido Gávea, na Zona Sul. O trânsito está em meia pista. Na Rua Visconde de Albuquerque, no Leblon, duas árvores interditam a via.

Ponte Rio-Niterói reabre nos dois sentidos


A Ponte Rio-Niterói, fechada desde o início da manhã desta terça-feira (6), foi reaberta nos dois sentidos. Ainda chove na região e motoristas devem redobrar a atenção. A Avenida do Contorno, em Niterói, na Região Metropolitana, também foi liberada.

‘A água só vai subindo e não tem pra onde ir’, diz moradora


Moradores do Rio relatam momentos de perigo e medo na tentativa de voltar para casa em razão da chuva que cai desde a noite de segunda-feira (5). As pessoas tiveram que usar garrafas para tirar a água de dentro dos carros, na maioria quase encobertos. “A gente entra em pânico, porque a água vai só subindo e você não sabe pra onde ir, está tudo cheio, vai para um lado está cheio, a outra rua cheio”, diz uma moradora.


Detran suspende serviços
Todos os serviços do Detran foram suspensos nesta terça-feira (6) na capital e na Região Metropolitana. Segundo o presidente do Detran, Fernando Avelino, os clientes que tinham serviços agendadosterão prioridade no atendimento nos próximos dez dias.

“O Detran está preparado para preencher esta lacuna de atendimento gerada nesta terça-feira, pois já vínhamos reforçando nossos horários desde o final do mês passado. Além disso, trabalharemos nos próximos pontos facultativos para que ninguém seja prejudicado”, disse Avelino.

Chuva forte provoca mortes e caos no Rio
Prefeitura recomenda que as pessoas fiquem em casa.
Rio de Janeiro amanhece com alagamentos e trânsito caótico.

Já são 32 o número de mortos pela chuva no Rio
As chuvas já provocaram a morte de trinta e duas pessoas no Estado do Rio, desde a noite de segunda-feira (5). A prefeitura de Nilópolis confirmou a primeira vítima da Baixada Fluminense.

Em Niterói, na Região Metropolitana, 14 pessoas morreram vítimas de deslizamento de terra. Segundo a prefeitura de São Gonçalo, mais nove morreram no bairro Novo México.

Na cidade do Rio são oito mortos. Os desabamentos ocorreram no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste; Morro do Borel, na Tijuca; Turano, no Rio Comprido e Macacos, em Vila Isabel, todos na Zona Norte. As informações são da Defesa Civil Estadual.

Os desabamentos ocorreram no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste; Morro do Borel, na Tijuca; Turano, no Rio Comprido e Macacos, em Vila Isabel, todos na Zona Norte. As informações são da Defesa Civil Estadual.


O carioca encontra problemas no trânsito em vários pontos da cidade do Rio de Janeiro na manhã desta terça-feira (6). As autoridades recomendam que as pessoas não saiam de casa.


Entre os trechos mais afetados estão a Zona Norte, na região da Grande Tijuca, e a Zona Sul. Há carros abandonados em vários pontos da cidade. Em nota, o prefeito Eduardo Paes solicita que a população não saia de casa. "Todas as vias importantes da cidade estão interrompidas por alagamentos. É um risco enorme para qualquer pessoa tentar atravessar esses alagamentos", disse Paes.

A Praça da Bandeira continua alagada, e ruas como a Barão de Itapagipe e a Paulo de Frontin, estão com o tráfego parado. Há bolsões de água ainda no Aterro do Flamengo, no Jardim Botânico, em Botafogo e em Copacabana. Uma árvore caiu na Rua Jardim Botânico interrompendando o tráfego na altura da rua J. Carlos. Também na rua Visconde de Albuquerque, no Leblon, a queda de duas árvores interrompeu o trânsito.

Na região metropolitana, a prefeitura de Niterói interditou a Avenida do Contorno devido ao grande alagamento no local. A Ponte Rio-Niterói está travada nos dois sentidos. A Polícia Rodoviária Federal pede aos motoristas que evitem a ponte enquanto a chuva forte continuar.


Sobe para três número de mortos em deslizamento de terra no Borel
Leitores mostram ruas alagadas após temporal

Rajadas de vento atingem 75 km/h no Rio

Parte de uma encosta desabou e interditou a Avenida Niemeyer, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, na madrugada desta terça-feira (6). Segundo o Corpo de Bombeiros, nenhum carro foi atingido pelo deslizamento. O tráfego foi interrompido nos dois sentidos.


A forte chuva levou a CET-Rio a cancelar a interdição no Túnel Zuzu Angel, que seria feita, a partir de meia-noite, para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A Autoestrada Lagoa-Barra apresenta lentidão na pista sentido Zona Oeste. O trânsito também parou na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Jardim Botânico.


O mesmo aconteceu em alguns pontos dos bairros de Ramos, Penha, Manguinhos, Bonsucesso e Parada de Lucas, no subúrbio, e no Caju, na Zona Portuária. Na Zona Norte, o trânsito começou a fluir na Avenida Maracanã, onde o rio que atravessa a via transbordou durante a tempestade.

Alagamento na Supervia

Os alagamentos atingiram também trechos da via férrea da SuperVia. Com isso, por medida de segurança, os trens do ramal Saracuruna não estão circulando e os trens paradores das linhas Campo Grande, Bangu e Deodoro não fazem paradas nas estações Praça da Bandeira, Maracanã e Mangueira. Nos demais ramais a circulação registra atrasos médios de 10 minutos.


O tráfego de veículos também ficou complicado na Avenida Brasil, onde houve vários pontos de alagamento. Um acidente envolvendo um caminhão e um veículo de passeio, às 22h25, no acesso à Linha Amarela, no sentido Zona Oeste, também complicou o trânsito no local.

A forte chuva causou ainda a queda de uma árvore no acesso ao Alto da Boa Vista, na Zona Norte do Rio. O acidente complicou a vida dos motoristas que seguiam para a Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Segundo a CET-Rio, a via foi liberada por volta das 22h20 desta segunda. O tráfego de veículos, no entanto, ainda é lento no local.

Radial Oeste, próximo à Praça da Bandeira. (Foto: Adriana Reis Miller/VC no G1)
Três mortes em deslizamentos

Três pessoas morreram na noite desta segunda-feira após deslizamento de terra no Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte. O incidente aconteceu por causa do temporal. Segundo a Defesa Civil, uma pessoa ainda está desaparecida. Outras oito também ficaram feridas no incidente.

Bombeiros do quartel da Tijuca e de Vila Isabel foram acionados para o local. De acordo com a corporação, duas casas foram atingidas pelo deslizamento por volta das 20h. Todas as vítimas seriam moradoras da comunidade. Policiais militares e equipes da Defesa Civil permaneceram na região.

saiba mais
'Não saiam de casa', recomenda o prefeito do Rio Chuva no Rio faz Lula cancelar visita ao conjunto de favelas do Alemão Veja a situação de transportes e serviços no Rio de Janeiro

As vítimas foram levadas para o Hospital Geral do Andaraí, administrado pelo governo federal. De acordo com o Ministério da Saúde, um bebê, identificado como Ana Marcele Barbosa, de 5 meses, e uma adolescente de 16 anos morreram no local. Uma idosa, identificada como Francisca Bezerra de Souza, chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu. As outras vítimas sofreram fraturas e escoriações.


No Andaraí, um menino de 9 anos ficou ferido no desabamento de uma casa durante a tempestade desta noite, na Rua Leopoldo. A criança também foi socorrida no Hospital do Andaraí. Bombeiros dos quartéis de Vila Isabel e do Grajaú realizaram as buscas.


De acordo com a Defesa Civil, haveria ainda uma outra vítima debaixo dos escombros. As buscas foram prejudicadas pelo risco de novos desabamentos. Por questão de segurança, as equipes de resgate isolaram a área e interditaram parcialmente o trânsito. Além do Corpo de Bombeiros, agentes da Defesa Civil também estão no local.

Outros três deslizamentos também foram registrados na noite desta segunda-feira no Rio. Em Lins de Vasconcelos, uma casa foi atingida pela lama na comunidade Boca do Mato. Bombeiros do quartel do Méier realizam buscas no local. Um outro imóvel também desabou na Rua Barão de Petrópolis, em Santa Tereza, no Centro. Ainda não há informações de vítimas.


Em São Gonçalo, na Região Metropolitana, uma pessoa ficou ferida num deslizamento de terra que atingiu uma casa na Travessa Lucas, no bairro da Covanca. A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada para um hospital da região. Ainda não há informações sobre o seu estado de saúde.


Falta de luz
A Light informou, por volta das 22h40, que o fornecimento de energia foi restabelecido nos bairros de São Conrado, na Zona Sul, na Barra, na Zona Oeste, e no Alto da Boa Vista, na Zona Norte.


Outros bairros estavam apenas com alguns trechos normalizados. É o caso de Jacarepaguá e Taquara, na Zona Oeste, da Tijuca e do Grajaú, na Zona Norte, da Ilha do Governador, e de Botafogo, na Zona Sul. Campinho, no subúrbio, no entanto, continua sem luz.


Aeroportos

Após ficar fechado por quase duas horas, o Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro, reabriu na noite desta segunda-feira (5). O aeroporto fechou no por volta das 18h30 por causa da forte chuva. Segundo a Infraero, dos 145 voos previstos até às 20h desta segunda-feira, 86 atrasaram e 28 foram cancelados.

Já o aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, opera apenas por instrumentos. Ainda segundo o site da Infraero, dos 115 voos previstos até às 20h desta segunda, 76 atrasaram e nenhum foi cancelado. A situação também é normal no saguão do aeroporto, sem registro de filas.


Durante a manhã desta segunda, os voos que seguiam em direção ao aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, não puderam decolar do Santos Dumont, causando confusão no terminal. De acordo com a Infraero, o aeroporto de São Paulo ficou fechado devido às más condições meteorológicas na capital paulista.


Temperatura deve cair
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura máxima desta segunda foi de 29,5ºC, registrada em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Já a mínima foi de 21,1ºC, no Alto da Boa Vista, na Zona Norte.

A previsão para esta terça (6) no Rio e na Região Metropolitana é de tempo nublado, com pancadas de chuva isoladas. A temperatura entrará em declínio, entre 22ºC e 25ºC.

Um comentário:

Juliana Pires disse...

Que triste tudo isso. Quando não é em um Estado é em outro, hoje foi a vez do Rio de Janeiro, onde vamos parar com tanta tragédia?

Beijos