7.19.2016

'El País': Inacreditável, que a maioria dos brasileiros prefira Temer a Dilma.

Artigo lembra que a voz da sociedade nem sempre se sintoniza com nossas análises e profecias

Artigo de Juan Arias publicado nesta segunda-feira (18) pelo El País, analisa que os políticos não aprendem, e acabam desconcertados pela sociedade. Isso é o que emerge da última pesquisa do Datafolha. Não é preciso ser um semiótico ou um psicanalista para advertir que o resultado dessa pesquisa acrescenta mais de uma surpresa ao momento crítico que o Brasil vive. É fato que, como na vida, tudo é relativo e fugaz, mas, no entanto, há realidades que se impõem.
Por exemplo, diz o artigo de El País, poucos poderiam imaginar que a maioria dos brasileiros preferiria o tenebroso, golpista e direitista Temer e seu Governo (50%) que a inocente, perseguida e progressista Dilma (30%). Também não era de se esperar que em só dois meses de um Governo interino, com muitos de seus ministros sob suspeita de corrupção,incluindo o próprio Temer, o índice de confiança na melhora da economia tenha crescido 17 pontos. Como é possível, além disso, que Temer seja rejeitado só por 31% da sociedade, enquanto Dilma, ainda presidente, era por 65%?
Artigo do El país diz que poucos poderiam imaginar que a maioria dos brasileiros preferiria o tenebroso, golpista e direitista Temer e seu Governo (50%) que a inocente, perseguida e progressista Dilma (30%)
Artigo do El país diz que poucos poderiam imaginar que a maioria dos brasileiros preferiria o tenebroso, golpista e direitista Temer e seu Governo (50%) que a inocente, perseguida e progressista Dilma (30%)
E tem ainda mais, acrescenta Juan Arias para El País. Depois dos rios de comentários que foram escritos sobre o famoso “golpe” democrático contra Dilma, que a transformou em uma vítima internacional, como se explica que a maioria dos brasileiros considere como certo que Rousseff não recuperará a presidência e que a maioria prefira que Temer continue governando até as próximas eleições gerais? Tudo isso é mais curioso, para não dizer misterioso, quando se pensa que nem a figura de Temer, cujo nome não é lembrado por mais de 30%, nem a maravilha de seu Governo, entusiasmam. O que se observa com a pesquisa é que a maioria dos brasileiros está convencida, junto com a maioria dos empresários, que a cambaleante economia que Dilma deixou de herança, em uma das crises mais graves da história do país, começa a respirar positivamente. O que essas pesquisas parecem indicar é a rejeição consciente ou inconsciente do legado, sobretudo econômico, do Governo Dilma, uma vez que até um Governo como o de Temer chega a dar maior confiança para a sociedade.
Para finalizar, o texto fala que as surpresas da pesquisa não acabam aqui: se hoje houvesse eleições gerais, quem as ganharia em um segundo turno e com ampla margem, contra todos: contra Lula, Aécio, Serra, Alckmin, Ciro Gomes, etc., seria a muda, a frágil, a misteriosa, a evangélica, Marina Silva. Quem saberia explicar? Junto a isso, o maior problema que angustia os brasileiros, contra o que se poderia esperar, não é a violência, nem a educação, nem a saúde, nem a corrupção. Que os políticos não se esqueçam, os de direita e os de esquerda com tentações de colocar travas nas rodas da Lava Jato. Pagariam duramente. Políticos e intelectuais, não deveríamos esquecer que a voz da sociedade nem sempre se sintoniza com nossas análises e profecias.
> > 'FT': artigo sobre corrupção no Brasil vai de Visconde de Mauá a Marcelo Odebrecht

Um comentário:

Antonio Celso da Costa Brandão Brandão disse...

Uma das razões principais é o o apoio da mídia golpista e o ódio ao Partido dos trabalhadores.