7.14.2011

Desidratação de discos vertebrais/Estenose Lombar

A desidratação dos discos vertebrais é conseqüência de outras doenças, como a estenose lombar. Há duas causas fundamentais para a estenose lombar: a congênita e a adquirida. Pessoas com o canal lombar congenitamente estreito são propensas a sofrer compressão das raízes nervosas lombares com maior facilidade. Nestes casos os sintomas muitas vezes aparecem precocemente. É o caso de jovens atletas que, tendo o canal lombar já estreito, ao provocarem traumas repetidos sobre a coluna lombar, provocam protrusões discais, hipertrofia das facetas articulares e dos ligamentos. O canal torna-se então ainda mais estreito, passando a comprimir as estruturas nervosas. A segunda causa, adquirida, é conseqüência da espondilartrose da coluna, também chamada espondilose. É muito mais freqüente que a forma congênita. Corresponde ao desgaste progressivo das estruturas da coluna, associado a pequenos traumas repetidos durante a vida. A conseqüência é a progressiva desidratação do disco intervertebral, sua protrusão, seguindo-se a hipertrofia dos ligamentos e das facetas articulares, com formação de osteófitos (popularmente conhecidos como bicos-de-papagaio) ou pontes ósseas entre as vértebras e que terminam por reduzir o canal medular. Os seus sintomas aparecem, em geral, a partir da quinta década de vida. Tratamento: A estenose congênita é, por ora, inevitável. Jovens atletas devem ser precocemente avaliados se apresentarem manifestações de dores freqüentes na coluna lombar, com irradiação para nádegas e membros inferiores. Atividade física regular, manutenção do peso ideal, evitar traumas repetidos à coluna vertebral, não fumar e evitar posturas físicas inadequadas são a melhor maneira de evita-la no curso da vida. As pessoas com manifestações leves ou toleráveis de dor, sem déficits objetivos de força muscular e da sensibilidade dos membros inferiores, são tratadas com medicamentos, atividade física, orientação da postura e manutenção do peso ideal. Pessoas idosas, com claudicação dos membros inferiores conseqüente a estenose lombar, são orientadas a caminhar com interrupções freqüentes e de acordo com a sua tolerância. Para as pessoas que não toleram a intensidade da dor, que apresentam déficits motores e sensitivos nos membros inferiores e cuja claudicação é significativamente limitante, indica-se o tratamento cirúrgico.
 Fonte: www.portaldacoluna.com.br

3 comentários:

Anônimo disse...

A melhor explicação que encontrei

Anônimo disse...

existe medicaçao?
qual seria?

Antonio Brandão disse...

.

Na maioria das situações, o tratamento para a estenose espinal lombar começa com conservador tratamento. Isso pode incluir medicamentos para reduzir a inflamação, até mesmo cursos de curta duração de medicação oral, cortisona, e medicamentos para a dor. Existem também vários medicamentos dirigidos especificamente a dor do nervo que são úteis para a estenose espinal lombar, incluindo gabapentina (Neurontin) e pregabalina (Lyrica). A fisioterapia pode ajudar para muitos. Cortisona (esteróide) injeções na coluna lombar, referido como injeções epidural, também pode reduzir os sintomas, diminuindo a inflamação e inchaço ao redor do tecido nervoso. Estes são por vezes repetida até três vezes por ano.
Mas o seu médico certamente saberá avaliar a sua doença.