7.06.2012

INALAÇÃO: USO DO BEROTEC

Por que o Berotec acelera o coração? Isso é realmente perigoso?

Para entendermos esse efeito do Berotec, além de diversos efeitos principais e colaterais de muitos medicamentos, precisamos entender um pouco sobre a adrenalina.

O que é adrenalina?

Para muitas pessoas, esta pergunta tem como resposta: "uma sensação diferente, como a que se tem quando se salta de para-quedas ou bungee-jump". O que essas pessoas provavelmente nem desconfiam, é que a adrenalina é um hormônio produzido pelo nosso organismo e de diversos animais, que nos prepara para situações de perigo (reais ou não).

Fuga ou Luta

A adrenalina é chamada de hormônio de fuga ou luta, pois prepara nosso corpo para situações de emergência.

Vamos imaginar a seguinte situação: você está passeando tranquilamente em uma savana africana quando, de repente, sente um bafo quente em seu cangote. Você vira para trás e... um leão enorme está ali, olhando pra você! O que você sente neste momento? Um medo muito grande claro, mas o que acontece no seu corpo? O coração dispara, a pele fica pálida, a respiração ofegante... O que você pode fazer agora? Lutar com o leão, ou fugir dele (a não ser que você seja muito louco, a única opção existente é fugir)! Então, todos estes efeitos foram desencadeados pela adrenalina! E exatamente pra preparar seu corpo pra lutar ou fugir.

O coração dispara para bombear mais sangue para os músculos, que serão muito exigidos; os brônquios se dilatam, para permitir maior passagem do ar, e assim melhorar a oxigenação do organismo; as pupilas se dilatam, para permitir maior entrada de luz, e assim enxergarmos melhor; a pele fica pálida, pois os vasos sanguíneos se contraem, permitindo que mais sangue possa ir onde é mais necessário no momento (e a pele não é); a boca fica seca, já que não necessitamos de produção de saliva neste momento (afinal, quem vai comer alguma coisa fugindo de um leão?); relaxamento dos músculos lisos, como o estômago e o intestino, pois a digestão, neste caso, fica para segundo plano. Esses efeitos são desencadeados após o cérebro perceber a situação de "perigo", enviando um sinal para as glândulas supra-renais, que injetarão a adrenalina no sangue. O sangue circula por todo o corpo, mas a adrenalina fará efeito apenas em determinados órgãos. Por quê? Porque estes órgãos têm locais específicos para receber a adrenalina: são os chamados receptores. Os receptores de adrenalina dividem-se em 2 grupos principais: alfa (1 e 2) e beta (1, 2 e 3). Após ligar-se a estes receptores, a adrenalina produzirá seus efeitos.

Com isso, fica claro o funcionamento (e efeitos colaterais) do Berotec e de diversos medicamentos! Como?

Vejamos:

O Berotec tem como finalidade tratar a asma, bronquite e outros problemas respiratórios que causam o fechamento dos brônquios. Ele age promovendo uma dilatação dos brônquios contraídos. Lembram-se do que foi dito a respeito da adrenalina? Ela também dilata os brônquios, para permitir uma maior passagem de ar! O que o Berotec faz é "simular" a ação da adrenalina, ou seja, vai chegar aos receptores da adrenalina, e vai promover a dilatação dos brônquios. Porém, vimos que a adrenalina também acelera o coração. E qual o mais temido efeito colateral do Berotec? Acelerar o coração! Coincidência? Claro que não!

Outro exemplo: o Buscopan. Ele é usado para o alívio de cólicas menstruais, intestinais, dores estomacais, etc. Como ele funciona? Relaxando a musculatura lisa (útero, estômago, intestino). Efeito semelhante ao da adrenalina! Quais os possíveis efeitos colaterais? Dilatação das pupilas, boca seca...

Estes dois exemplos foram de medicamentos que "simulam" a adrenalina. Mas existem medicamentos que têm efeito exatamente oposto: bloqueiam a ação da adrenalina.

Um exemplo disso são alguns medicamentos para controle da hipertensão, arritmia cardíaca e até mesmo enxaqueca, chamados de beta-bloqueadores, como o atenolol, propranolol, etc. São chamados de beta-bloqueadores porque bloqueiam os receptores beta. Quando a adrenalina se liga aos receptores beta de vasos sanguíneos, ou do coração, provoca a contração dos vasos e aceleração do coração. Ao impedir que ela se ligue a esses receptores (bloqueio), estes efeitos não serão provocados .

Mas, e afinal, é perigoso o Berotec acelerar o coração?

Na verdade, dentro das doses recomendadas, não! O fato de o coração acelerar, por si só, não é um perigo. Isto acontece o tempo todo: quando tomamos um susto, praticamos atividades físicas, etc. Seria perigoso caso o paciente tenha algum problema cardíaco, onde qualquer tipo de esforço cardíaco seria contra-indicado. Ou caso haja uma superdosagem do medicamento. Caso contrário, não há motivos para preocupações.

BEROTEC
Broncodilatador
Bromidrato de fenoterol
Uso adulto e pediátrico
- Formas farmacêuticas e apresentações
BEROTEC 100: Aerossol dosificador + Aerocâmera® : Frasco com 10 ml (corresponde a 200 doses). BEROTEC 200: Aerossol dosificador + Aerocâmera® : Frasco com 15 ml (corresponde a 300 doses). Gotas: Frasco com 20 ml. Xarope adulto: Frasco com 120 ml. Xarope pediátrico: Frasco com 120 ml. Comprimidos: Embalagem com 20 comprimidos.

Composição - BEROTEC

BEROTEC 100: Cada dose do aerossol contém: Bromidrato de fenoterol 0,1 mg. BEROTEC 200: Cada dose do aerossol contém: Bromidrato de fenoterol 0,2 mg. Cada ml (= 20 gotas) contém: Bromidrato de fenoterol 5,0 mg. Cada 10 ml xarope adulto (1 copo-medida) contêm: Bromidrato de fenoterol 5,0 mg. Cada 10 ml xarope pediátrico (1 copo-medida) contêm: Bromidrato de fenoterol 2,5 mg. Cada comprimido contém: Bromidrato de fenoterol 2,5 mg.

Informação técnica - BEROTEC

BEROTEC é um medicamento broncodilatador, que apresenta elevada eficácia no tratamento de asma brônquica e de outras enfermidades que são acompanhadas de uma constrição reversível das vias respiratórias, como a bronquite obstrutiva crônica com ou sem enfisema pulmonar. A ação de BEROTEC por inalação inicia-se poucos minutos após a administração e perdura durante 8 horas, aproximadamente. Como profilático, BEROTEC previne a obstrução brônquica induzida por esforço. Após a inalação, não existe uma correlação entre os níveis sangüíneos e a curva farmacodinâmica tempo-efeito, concluindo-se que o bromidrato de fenoterol possui efeitos locais nas vias respiratórias.

Indicações - BEROTEC

Tratamento sintomático de crises agudas de asma. Profilaxia da asma induzida por esforço. Tratamento sintomático da asma brônquica e outras enfermidades com constrição reversível das vias respiratórias, como bronquite obstrutiva crônica, enfisema e transtornos broncopulmonares (silicose, bronquiectasias, tuberculose, carcinoma bronquial) e na bronquite espástica da criança. É interessante considerar a adoção de um tratamento antiinflamatório concomitante. Para eliminação do broncoespasmo agudo antes da aerossolterapia com secretomucolíticos, corticosteróides, soluções salinas fisiológicas e cromoglicato dissódico, para favorecer a penetração destas substâncias nas pequenas vias aéreas.

Contra-indicações - BEROTEC

Hipertireoidismo, estenose aórtica subvalvular, sensibilidade a simpaticomiméticos, cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica, taquiarritmias, hipersensibilidade ao bromidrato de fenoterol.

Precauções - BEROTEC

Como ocorre com toda farmacoterapia, no 1o  trimestre da gravidez, BEROTEC somente poderá ser utilizado sob prescrição médica estrita. O mesmo é válido no período imediatamente anterior ao parto, devido ao efeito tocolítico da substância. Outros broncodilatadores simpaticomiméticos devem ser utilizados somente sob rigorosa supervisão médica, sendo que broncodilatadores anticolinérgicos podem ser inalados simultaneamente. BEROTEC deve ser utilizado, sobretudo em altas doses, somente após minuciosa análise do risco e do benefício em pacientes com diabetes melito descompensado, infarto recente do miocárdio, graves alterações vasculares ou cardíacas de origem orgânica, hipertireoidismo, glaucoma de ângulo fechado, feocromocitoma e hipertensão arterial. Em caso de dispnéia aguda ou em estado de agravamento, o médico deve ser consultado imediatamente. Uso prolongado: Deve ser evitado o uso contínuo do produto, reservando-o apenas aos momentos de exacerbação dos sintomas. Principalmente em caso de uso contínuo, os pacientes deveriam ser reavaliados para a administração ou intensificação do tratamento antiinflamatório (por exemplo, inalação de corticosteróides), a fim de controlar a inflamação das vias respiratórias e prevenir os danos a longo prazo. Se a obstrução brônquica piorar, é pouco apropriado e eventualmente perigoso simplesmente aumentar o uso de Beta-2-agonistas como o BEROTEC além da dose recomendada, por períodos de tempo prolongados. O uso regular de quantidades elevadas de BEROTEC, para controlar sintomas de obstrução brônquica, pode significar um controle inadequado da doença. Nesta situação, o esquema terapêutico do paciente e, em particular, a adequação do tratamento antiinflamátorio deverão ser reavaliados, a fim de prevenir uma potencial ameaça à vida, pela deterioração do controle da doença. O uso sob demanda deve ser preferível ao uso regular. O tratamento com Beta-2-agonistas pode provocar hipopotassemia potencialmente severa. Recomenda-se precaução em asma grave, pois seu efeito pode ser potencializado pela administração concomitante de derivados da xantina, esteróides e diuréticos. Além disso, a hipoxia pode agravar os efeitos da hipopotassemia sobre o ritmo cardíaco. Nestas situações aconselha-se monitorizar os níveis séricos de potássio. Gravidez e lactação: Não foram constatados, até o momento, efeitos nocivos durante a gravidez. Todavia, devem ser observadas as precauções usuais referentes à administração de medicamentos durante a gravidez, principalmente nos três primeiros meses. Deve-se considerar o efeito inibidor de BEROTEC nas contrações uterinas. Até o momento não está comprovada sua segurança durante a lactação.

Interações medicamentosas - BEROTEC

O uso concomitante de nitratos pode reduzir o efeito terapêutico dos nitratos. O efeito de BEROTEC pode ser potencializado por beta-adrenérgicos, anticolinérgicos, derivados da xantina e corticosteróides. A administração concomitante de outros betamiméticos, anticolinérgicos de absorção sistêmica e derivados da xantina pode aumentar os efeitos colaterais. Interações medicamentosas com expectorantes ou cromoglicato de sódio não são conhecidas. O efeito broncodilatador de BEROTEC é potencializado pelo brometo de ipratrópio (Atrovent). Recomenda-se precaução especial no uso concomitante ou recente de inibidores da MAO. A administração simultânea de betabloqueadores pode causar uma redução potencialmente grave no efeito. BEROTEC pode reduzir o efeito hipoglicemiante de antidiabéticos. O uso com digitálicos glicosídios e levodopa aumenta o risco de arritmias cardíacas.

Reações adversas - BEROTEC

Em geral, BEROTEC é bem tolerado. Efeitos indesejáveis freqüentes, atribuídos a BEROTEC, são leves tremores dos músculos esqueléticos e nervosismo. Menos freqüentes são taquicardia, inquietação, vertigens, palpitações, fadiga, cefaléia (principalmente em pacientes hipersensíveis), sudorese, secura da boca e transtornos ventriculares do ritmo cardíaco ou moléstias pectanginosas. Em casos muito raros foram observadas irritações locais ou reações alérgicas. Como com outros broncodilatadores foram observadas, em alguns casos, tosse e, excepcionalmente, broncoconstrições paradoxais. O tratamento com Beta-2-agonista pode ter como conseqüência uma hipocalemia potencialmente grave.

Posologia e modo de usar - BEROTEC

Comprimidos: Adultos: 1 a 2 comprimidos, 3 vezes ao dia. Crianças de 6 a 14 anos: 1 comprimido, 3 vezes ao dia. Xarope adulto: Adultos: 1/2 a 1 copo-medida (5 a 10 ml), 3 vezes ao dia. Crianças de 6 a 14 anos: 1/2 copo- medida (5 ml), 3 vezes ao dia. Xarope pediátrico: Crianças de 6 a 14 anos: 1 copo-medida (10 ml), 3 vezes ao dia. Crianças de 1 a 6 anos: 1/2 a 1 copo-medida (5 a 10 ml), 3 vezes ao dia. Crianças menores de 1 ano: 1/2 copo-medida (5 ml), 2 a 3 vezes ao dia. BEROTEC xarope pode ser utilizado por pacientes diabéticos, sem restrições dietéticas. Gotas (1 ml = 20 gotas = 5,0 mg; 1 gota = 0,25 mg). Uso oral: Adultos: 10 a 20 gotas, 3 vezes ao dia. Crianças de 6 a 14 anos: 10 gotas, 3 vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos: 5 a 10 gotas, 3 vezes ao dia. Crianças até 2 anos: 3 a 7 gotas, 3 vezes ao dia.
O novo frasco de BEROTEC vem acompanhado de um moderno tipo de gotejador, de fácil manuseio: basta colocar o frasco em posição vertical e deixar escorrer a quantidade desejada de gotas.
Para inalação: Adultos e crianças acima de 7 anos (³ 25 kg): 8 a 10 gotas, diluídas em 5 ml de soro fisiológico, 3 vezes ao dia, a critério médico. Crianças menores de 7 anos (< 25 kg): 1 gota para cada 3 kg de peso corporal, diluída em 2 a 5 ml de soro fisiológico, 3 vezes ao dia, a critério médico. O tempo de inalação é de 5 minutos. Na crise, se o paciente não apresentar melhora dentro de 30 minutos, a inalação poderá ser repetida. Aerossol dosificador: BEROTEC 100: Para tratamento da crise: Adultos e crianças acima de 7 anos (³ 25 kg): 1 dose de aerossol, que pode ser seguida de uma segunda inalação após 10 minutos, a critério médico. A próxima inalação não deverá ser feita com intervalo menor que 3 horas. Para tratamento de continuidade: Adultos e crianças acima de 7 anos: 1 dose do aerossol, 3 vezes ao dia. BEROTEC 200: BEROTEC 200 destina-se aos casos que não foram adequadamente controlados com o uso de BEROTEC 100, ou a critério médico. Episódios de asma aguda: Em muitos casos, 1 inalação de BEROTEC 200 é suficiente para o alívio imediato dos sintomas. Se, em casos mais graves de uma crise aguda, a respiração não tiver melhorado notavelmente depois de 5 minutos, pode-se proceder a uma segunda inalação. Não tendo alívio dos sintomas, podem ser necessárias mais inalações. Nestes casos os pacientes devem consultar o médico ou procurar, com urgência, o hospital mais próximo. Profilaxia de asma induzida por esforço: 1 a 2 inalações até 8 vezes ao dia, como dose máxima. Asma brônquica e outras enfermidades com constrição das vias respiratórias reversíveis: Se for necessária uma repetição do tratamento, 1 a 2 inalações até 8 vezes ao dia, como dose máxima. Para crianças, recomenda-se o uso de BEROTEC 200, sempre a critério médico e sob supervisão de um adulto.

Instruções de uso - BEROTEC

O auxiliar inalatório Aerocâmera®    foi desenvolvido a fim de facilitar a administração de BEROTEC aerossol, permitindo seu uso também em crianças, e garantir a máxima eficácia terapêutica do produto. Quando usado corretamente, o auxiliar inalatório Aerocâmera®    promove uma melhora da inalação, permitindo a penetração da substância ativa até as áreas mais profundas dos brônquios, aliviando rapidamente a dispnéia.
- Observações
A inalação deve ser efetuada imediatamente após a liberação do medicamento do aerossol para dentro da aerocâmera, evitando assim que as partículas flutuantes de substância ativa se fixem na parede interna da aerocâmera sem exercer a sua ação. Após o uso, lavar em água morna e enxugar. Deve-se obedecer cuidadosamente as instruções de uso e treinar, inicialmente, os diversos passos. O recipiente encontra-se sob pressão, não devendo ser forçado, perfurado e nem exposto a temperaturas acima de 50o C. Para verificar se o recipiente contém líquido, deve-se agitá-lo; quando o frasco parece estar vazio, ainda contém aproximadamente 10 doses.

Superdosagem - BEROTEC

Sintomas: Em caso de superdosagem podem ocorrer rubor facial, tremores das mãos, náuseas, fadiga, taquicardia, palpitações, cefaléia, aumento da pressão arterial sistólica, queda da pressão arterial diastólica, opressão, excitação e eventualmente extra-sístoles. Tratamento: Após o uso oral, lavagem gástrica. Administrar sedativos, tranqüilizantes; em casos graves, medidas de tratamento intensivo. Como antídoto específico recomendam-se bloqueadores dos beta-receptores, se possível, bloqueadores dos beta-1-receptores; nos pacientes com asma brônquica deve-se considerar uma possível potencialização da obstrução brônquica e estabelecer cuidadosamente a dose.
Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

BEROTEC - Laboratório

Boehringer Ingelheim
Av. Maria Coelho Aguiar,215-Bl. F - 3ºand
São Paulo/SP - CEP: 05804-970
Tel: 55 (011) 3741-2181
Fax: 55 (011) 3741-1648
Site: http://www.boehringer-ingelheim.com/

 

REFERÊNCIA NOME GENÉRICO LABORATÓRIO APRESENTAÇÃO CLASSE TERAPÊUTICA PMC R$
Compre com menor preço Berotec Bromidrato de Fenoterol Genericos Germed 0,25mg/ml Xarope Infantil Frasco de 120ml Aparelho Respiratorio 2.76
Compre com menor preço Berotec Bromidrato de Fenoterol Genericos Germed 0,5mg/ml Xarope Adulto Frasco de 120ml Aparelho Respiratorio 3.07
Compre com menor preço Berotec Bromidrato Fenoterol Legrand Genericos 5mg/ml Frasco de 20ml Aparelho Respiratorio 3.55
Compre com menor preço Berotec Bromidrato Fenoterol Legrand Genericos 0,25mg/ml Xarope Infantil Frasco de 120ml Aparelho Respiratorio 2.76
Compre com menor preço Berotec Bromidrato Fenoterol Legrand Genericos 0,5mg/ml Xarope Adulto Frasco de 120ml Aparelho Respiratorio 3.07
Compre com menor preço Berotec Bromidrato de Fenoterol Prati Donaduzzi 5mg/ml Solução Oral Frasco Plástico Gotas de 20ml Aparelho Respiratorio 3.54
Compre com menor preço Berotec Bromidrato de Fenoterol Prati Donaduzzi 5mg/ml Solução Oral 200 Frasco Plástico Gotas de 20ml Aparelho Respiratorio 512.54
Total de Medicamentos: 7


Qual a diferença entre Berotec e Atrovent

Atrovent e um broncodilatador para ser usado na manutenção do broncoespasmo, é usado em combinação com uma medicação beta-2-agonista para melhorar o efeito broncodilatador. Praticamente não possui os efeitos colaterais dos beta-2, como:taquicardia, palpitações distúrbio visual, retenção urinaria etc.Sua substancia ativa e o bromento de ipatrópio. Sua posologia e adaptada ao peso e idade da criança. O Berotec já e um medicamento que atua nos receptores Beta 2, razão pela qual pode em algumas pessoas causar palpitações e taquicardia.  Siga sempre a posologia recomendado por seu medico. Não acredite que os dois medicamentos são drogas perigosas, quando usadas na posologia certa pode salvar a vida de uma criança. Escute sempre o seu medico ,ele certamente  deverá saber o que está fazendo.

Curiosidades:

  • A adrenalina possui um sinônimo bastante utilizado: epinefrina
  • A adrenalina recebe este nome porque, em animais quadrúpedes, é produzida pelas glândulas adrenais (ad = ao lado, portanto, ao lado dos rins). E epinefrina porque, em humanos (bípedes) esta glândula fica acima dos rins (do grego epi = acima, e nefros = rins)
  • A adrenalina possui uma "irmã" muito parecida, a noradrenalina (ou norepinefrina), que é responsável por muitos dos efeitos mencionados neste artigo. Os receptores citados possuem diferentes afinidades  por estes dois hormônios.
Obs.: os assuntos deste artigo foram tratados de maneira bastante simplificada, para facilitar a compreensão do tema por pessoas que não possuem conhecimentos na área da saúde.


Um comentário:

Bela explicação!! Esclareceu muito!!
Eu tenho bronquite desde pequeno, e uso berotec à muito tempo. Pelo que eu sei, o aceleramento do coração não é um efeito colateral, mas sim um efeito planejado que permite que ao acelerar o coração, o sangue circule mais rápido e assim, aumente a captação de oxigênio, que nas crises asmáticas, diminui. Isso é certo?
Eu lí na bula do atrovent, que ele é um broncodilatador. O berotec também, então porque muitos casos de bronquite são tratados usando os dois ao mesmo tempo? (Em inalação ou na bombinha de Duovent N por exemplo)

18 comentários:

Anônimo disse...

Ótima, excelente explicação, eu adorei.Ficou muito claro sobre as dúvidas que tinha e com certeza irão me ajudar para fazer uma prova sobre o assunto.

Marauê disse...

Olá, gostei bastante da explicação, mas tenho uma dúvida muito importante para mim. Minha mãe possui refluxo, e quando ataca, causa a falta de ar, recomendaram a ela o uso desse medicamento, e quando lhe causa a falta de ar, ela utiliza, mas após o uso, ela sente uma sensação muito forte de queimação na região do peito, gostaria de saber, se o uso do remédio, é realmente indicado, ou seria melhor parar. Agradeço dês de já, e peço uma resposta o quanto antes. Grato.

Antonio Brandão disse...


Procure o seu médico

Maria Sonia Roque de Souza disse...

gostaria de saber ate que ponto o berotec faz mal

Antonio Celso da Costa Brandão Brandão disse...

O berotec acelera os batimentos cardíacos. O monitoramento médico é importante, pois as reações e os efeitos colaterais depende do paciente.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre de Paula disse...

Por quanto tempo o berotec,fica no organismo depois de terminado o tratamento.

Antonio Celso da Costa Brandão Brandão disse...

O efeito broncodilatador de Berotec após inalação inicia-se poucos minutos após a administração e perdura por 3 a 5 horas no caso de doenças pulmonares obstrutivas. Dependendo do método de inalação e do sistema utilizado, cerca de 10-30% do fármaco liberado pelo aerossol alcançam o trato respiratório inferior, enquanto o restante é depositado no trato respiratório superior e na boca. Como resultado, parte do fenoterol administrado por inalação entra no trato gastrintestinal. Após inalação de um puff de Berotec 200 mcg, constata-se uma taxa de absorção de 17% da dose. A absorção segue, então, um curso bifásico: 30% do fármaco é rapidamente absorvido, com meia-vida de 11 minutos, e 70% é absorvido vagarosamente, com meia-vida de 120 minutos. Não existe correlação entre os níveis sangüíneos e a curva farmacodinâmica tempo-efeito após a inalação. A longa ação broncodilatadora após inalação, comparada com aquela após administração i.v., não é sustentada pelos níveis plasmáticos sistêmicos. Após administração oral, aproximadamente 60% do bromidrato de fenoterol é absorvido. A parcela absorvida sofre intenso metabolismo de primeira passagem hepática e, como resultado, a biodisponibilidade oral cai para cerca de 1,5%. Devido a isso, a porção deglutida do fármaco não contribui praticamente em nada para o nível plasmático sistêmico após a inalação.
O Berotec administrado sistemicamente é eliminado de acordo com um modelo tricompartimental, com meia-vida de tα(1/2)=0,42 minutos, tβ(1/2)=14,3 minutos, tγ(1/2)=3,2 horas. A transformação metabólica do fármaco no homem ocorre quase exclusivamente por sulfatação, predominantemente na parede intestinal.

Bia mcsn disse...

Adorei a aula me fez lembrar farmacologia rsrs. O páginas está de parabéns tirou todas as minhas dúvidas.

selma tedesco disse...

Excelente explicação!

alice lopes disse...

Gostei muito da explicação, principalmente,porque falou de um jeito que pude entender. Obrigada! Me ajudou bastante!

alice lopes disse...

Gostei muito da explicação, principalmente,porque falou de um jeito que pude entender. Obrigada! Me ajudou bastante!

Unknown disse...

O berotec faz inchar as vezes me pareço super inchada por causa do berotec

Unknown disse...

O berotec faz inchar as vezes me pareço super inchada por causa do berotec

ruycarlospirre@hotmail.com disse...

Gostaria de saber se tem alguma contra indicação a pratica de sexo depois da inalação, grato Ruy.

Adriana Ane disse...

Meu filho tem 5 anos e recebeu uma super dosagem eu quero saber quanto tempo fica no corpo dele o efeito do berotec e se ele corre algum risco

Adriana Ane disse...

Meu filho tem 5 anos e recebeu uma super dosagem eu quero saber quanto tempo fica no corpo dele o efeito do berotec e se ele corre algum risco

bibiano disse...

Sempre usei berotec, (5 a 8 gotas) (Adulto 40) - nas crises de asma/bronquite, mas um certo dia queria tomar novalgina e pinguei 30 gotas de berotec por engano, (não senti aquele gosto do analgésico fui ver era berotec)
fiquei super preocupado achando que uma reação forte poderia se dar em até 2 horas, mas não aconteceu nada aparente, isso já foi a 2 Meses - é NORMAL?